Genivaldo de Jesus Santos
Montagem iG - 26.05.2022
Genivaldo de Jesus Santos

A Polícia Federal abriu uma investigação para apurar as circunstâncias da morte de um homem em Sergipe durante abordagem feita por agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Sergipe. Segundo a entidade, "diligências acerca do caso já foram iniciadas, e a PF trabalha para esclarecer o ocorrido o mais breve possível".

Genivaldo de Jesus Santos morreu após uma abordagem de agentes da PRF na BR-101 no município de Umbaúb a, no litoral de Sergipe, nesta quarta-feira. O laudo do Instituto Médico Legal (IML) apontou que a vítima, Genivaldo de Jesus Santos, de 38 anos, sofreu asfixia mecânica e insuficiência respiratória aguda.

Imagens da ação foram compartilhadas em redes sociais e mostram a vítima sendo algemada no chão por dois agentes e, em seguida, sendo colocada por eles no porta-malas da viatura, de onde saí a fumaça, que teria causado a sua morte, por intoxicação.

Sobrinho: 'Foi uma sessão de tortura’

Genivaldo teria sofrido uma “sessão de tortura” feita pelos agentes, segundo o sobrinho da vítima , Alisson de Jesus. Antes de ser colocado na viatura, a vítima ainda foi agredida com empurrões e chutes na cabeça.

Alisson afirma, ainda, que a família enfrentou dificuldades para obter informações sobre o quadro de saúde dele, tendo sido impedida de entrar no Hospital para onde ele havia sido levado após a abordagem.

"Foi dada a ordem de parada, ele parou, botou a moto no tripé e atendeu todos os comandos que o policial deu. O policial disse para ele levantar a camisa, ele levantou, e falou para o policial que estava com remédios e receita no bolso, indicando que tinha problemas mentais", contou, ao portal FanF1, da Rádio Fan FM.

Agentes teriam sido avisados sobre doença

Wallyson ainda disse que a vítima foi abordada por agentes da PRF quando pilotava uma motocicleta . De acordo com ele, os policiais ignoraram os apelos, fizeram o uso de spray de pimenta e colocaram a vítima dentro do porta-malas da viatura.

Ainda segundo Wallyson, Genivaldo teria ficado nervoso ao ser abordado e que, mesmo tentando dialogar com os agentes, os policiais não teriam atendido ao seu apelo. O caso é investigado pela Polícia Civil.

PRF lamenta o ocorrido

Por meio de uma nota divulgada à imprensa, a PRF informou que instaurou um procedimento para apurar a conduta dos agentes envolvidos na abordagem.
"Ele foi conduzido à Delegacia de Polícia Civil. No entanto, durante o deslocamento, passou mal, foi socorrido e levado para o Hospital José Nailson Moura, onde posteriormente foi atendido e constatado o óbito", diz a nota do órgão.

Despedida

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública de Sergipe, outros exames foram realizados para confirmar a razão da morte. O corpo de Genivaldo foi liberado do IML já na noite de ontem.
O velório ocorre no povoado Mangabeira, em Santa Luzia do Itanhy, no Litoral Sul do estado.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários