Hospital de Tramandaí foi destelhado pelo vento
Reprodução/Twitter - 18.05.2022
Hospital de Tramandaí foi destelhado pelo vento

Uma ala da Fundação Hospitalar Getúlio Vargas, em Tramandaí, Rio Grande do Sul, teve o telhado destruído pelos fortes ventos na noite desta terça-feira (17). Segundo a Defesa Civil do estado, as fortes rajadas provocadas pela tempestade subtropical Yakecan arrancaram parte do telhado de um dos setores de internação da unidade hospitalar.

No incidente, cerca de 40 pacientes foram removidos do local e tiveram que ser levados para outras alas do próprio hospital. Não houve feridos.

A Defesa Civil informou, ainda, que um canoísta desapareceu na noite de segunda-feira (16), na Lagoa dos Patos, enquanto praticava o esporte no local. No entando, na tarde de terça-feira (17) ele foi regatado, sem ferimentos, por uma aeronave da Marinha, no centro da Lagoa, próximo a cidade de Turuçu. 

Um homem também teve que ser resgatado após cair dentro de um lago enquanto pescava durante a passagem do ciclone noite de segunda-feira (16), o pescador não se feriu.

Ainda de acordo com a Defesa Civil, há relatos de diversas quedas de árvores e detelhamentos de casas em várias cidades do estados, no entanto, até o momento nenhuma morte relacionada ao ciclone foi conformada.

200 mil pessoas sem energia no RS

A passagem do ciclone Yakecan deixou mais de  200 mil pessoas sem energia elétrica no Rio Grande do Sul nesta terça-feira (17). Cerca de 182 mil destas residências são atendidas pela CEEE Equatorial, e aproximadamente 20 mil recebem a cobertura da RGE.

Entre as regiões atendidas pela CEEE que foram mais atingidas pela falta de luz, destaque para Porto Alegre, Guaíba, Bagé, Alvorada, Rio Grande, Viamão, Imbé e Chuí. 

"Ressaltamos que temporais com ventos e chuvas fortes ocasionam a queda de árvores e grades objetos sobre as estruturas da rede elétrica. Por isso, os prazos para a solução das ocorrências depende da complexicidade de cada caso", disse a CEEE em comunicado divulgado no Twitter.

A empresa destacou também que as regiões Sul e Centro-Sul foram as primeiras a apresentarem problemas de falta de energia nesta terça. No moemento, o ciclone se desloca para a região metropolitana do estado.

Na região atendida pela RGE, Canoas, Gravataí e a região do Vale dos Sinos são os locais que mais sofrem as consequências da passagem do ciclone.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o perfil  geral do Portal iG.



    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários