Policiais incineraram instalações utilizadas por garimpeiros na Terra Indígena Yanomami
Divulgação
Policiais incineraram instalações utilizadas por garimpeiros na Terra Indígena Yanomami

Yanomamis que estavam desaparecidos após confronto com garimpeiros  foram encontrados, disse em depoimento à Polícia Federal o líder indígena Júnior Hekurari, que confirmou o relato ao GLOBO . Segundo ele, o grupo foi localizado em uma área de floresta.

Os indígenas, que residiam na comunidade de Aracaçá, se mudaram para outros locais da terra indígena, dentro da comunidade Palimiú. A informação foi dada inicialmente pela Folha de S. Paulo e confirmada pela reportagem.

sumiço na terra Yanomami em Roraima foi denunciado pelo conselho Distrital de Saúde Indígena Yanomami Ye'kwana (Condisi-YY). A entidade, presidida por Hekurari, divulgará uma nota para explicar o episódio.

A Polícia Federal promove nesta sexta-feira uma coletiva em que vai detalhar as investigações sobre  denúncias de estupro e homicídio contra indígenas da comunidade Aracaçá e a prisão do garimpeiro Eliézio Monteiro Nerj . Detido nesta quinta-feira, ele estava foragido da Justiça após ser condenado por participar de um genocídio de Yanomamis há quase três décadas. O Massacre do Haximu, como ficou conhecida a série de assassinatos, deixou 16 mortos em 1993.

O aumento da exploração da Terra Indígena Yanomami pelo garimpo ilegal tem criado um cenário de terror e medo nas mais de 350 comunidades existentes no território, que sofrem com fome, exaustão, doenças e violência , incluindo abuso sexual de mulheres e crianças em troca de comida, como mostrou O GLOBO . Em apenas um ano, a destruição provocada pelos invasores cresceu 46% em relação a 2020, um incremento de 1.038 hectares, atingindo um total acumulado de mais de 3 mil campos de futebol devastados, a maior taxa anual desde a demarcação da área, em 1992.

Em abril, lideranças Yanomami denunciaram o assassinato de uma menina indígena de 12 anos que teria sido estuprada antes de morrer . Os indígenas também relataram que um criança de 3 anos foi jogada no rio e estava desaparecida. O caso ocorreu após suposto ataque e tentativa de sequestro de indígenas por garimpeiros.

A PF afirmou que não encontrou indícios de homicídio e estupro ou de óbito por afogamento na terra Yanomami . Em comunicado, o órgão disse que as diligências no local haviam sido finalizadas e que os agentes retornaram a Boa Vista.

"Os garimpeiros invadiram a comunidade levaram uma mulher e uma adolescente, de 12 anos de idade. Os garimpeiros violentaram e ocasionou o óbito. O corpo da adolescente ainda está na comunidade e vamos fazer um voo agora para trazê-la ao Instituto Médico Legal (IML) para fazer os exames e constatar se ela foi abusada. A mulher tinha 28 anos e estava com uma criança de colo, que teria morrido afogada no rio", afirmou Hekurari ao GLOBO .

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários