Tarcísio Freitas
Reprodução
Tarcísio Freitas

Os autores do livro “A Guerra – Ascensão do PCC e o Mundo do Crime no Brasil”, Bruno Paes Manso e Camila Nunes Dias, desmentiram o pré-candidato ao governo de São Paulo Tarcísio de Freitas, que disse ter “extraído da literatura” e do próprio livro a informação que o crime organizado se desenvolveu por falta de combate da segurança pública paulista.

“Em abril, Tarcísio de Freitas afirmou que ‘São Paulo fez um pacto com o crime organizado’. Na sabatina desta quinta-feira na Folha, repetiu a afirmação e disse que a retirara do livro "A Guerra - Ascensão do PCC e o Mundo do Crime no Brasil". É mentira do candidato. Isso não está no livro. Nele descrevemos como a política de segurança pública, baseada no policiamento ostensivo e no encarceramento em massa, fortaleceu o PCC, erros que sua candidatura promete reproduzir”, dizem os autores em nota publicada no Painel do Leitor da Folha de São Paulo de sexta-feira (6).

Ao ser questionado durante a sabatina, Tarcísio foi evasivo sobre sua fonte e acabou por citar o livro que trata da história do PCC. “O que eu falei está registrado na literatura especializada, está em registro histórico”. A jornalista Fabíola Cidral, que ancorou a Sabatina, insistiu na pergunta sobre qual literatura cita a tese do candidato. Tarcísio desconversou. “Posso passar depois, mas isso foi veiculado, foi debatido”, repetiu, sem dar mais detalhes e demonstrando total desconhecimento sobre o tema.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários