Adrilles foi demitido da JP por gesto associado ao nazismo
Reprodução
Adrilles foi demitido da JP por gesto associado ao nazismo

Nesta segunda-feira (28), passados quase 50 dias desde sua demissão após gesto que foi considerado associação ao nazismo, Adrilles Jorge volta a integrar o corpo de comentaristas da Jovem Pan. 

Na sua reestreia, fez comentários criticando Anitta e Pabllo Vittar - que chamou de “pseudoartistas” - pelas manifestações contra o presidente Jair Bolsonaro (PL) no Lollapalooza, em São Paulo. Segundo o comentarista, o que acontece no país é uma “ditadura pseudoprogressista”.

“A melhor arma contra esses artistas, contra esses pseudoartistas, pseudoprogressistas, como Pabllo Vittar e Anitta, é deixá-los falar. A Anitta foi falar sobre o Lula e não sabia nem sequer se o presidente era do Executivo, do Legislativo, do Judiciário. Ou seja, é uma gente que não sabe o que está acontecendo, gente completamente ignorante da realidade sociopolítica brasileira ”, afirmou.

Segundo Adrilles, "pessoas de direita estão sendo rigorosamente perseguidas, desmonetizadas e massacradas” , que há uma “uma luta do bem contra o mal” e uma “ditadura pseudoprogressista encrustada no Judiciário, na mídia, nas escolas e nas universidades” , que quer “a todo custo demonizar o presidente”.

Leia Também

A demissão do comentarista por gesto associado ao nazismo aconteceu no dia 9 de fevereiro. Ele fez um gesto similar ao da saudação nazista “Sieg Heil” durante debate no programa Opinião, da Jovem Pan News. 

Em nota lida ao vivo durante o programa Jornal da Manhã, a emissora repudiou o caso e disse que as opiniões de comentaristas “não refletem as posições do grupo Jovem Pan”. O comentarista, por sua vez, disse que foi alvo da cultura do cancelamento.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários