Bolsa de valores
Reprodução/Pixabay
Bolsa de valores

O Datafolha realizou um levantamento sobre as principais preocupações do brasileiro e o resultado foi que, as questões ligadas à saúde e à economia são os temas mais preocupantes.

A pesquisa foi feita entre a terça (22) e quarta-feira (23), os entrevistados foram questionados sobre qual é o maior problema do país atualmente.

A Saúde voltou a ser o assunto mais citado por conta do coronavírus, com 22% das menções. O tema, que tem ficado no topo da lista desde 2019, tinha sido mencionado por 26% em dezembro passado.

Durante a pesquisa, foi descoberto também a preocupação com os temas econômicos. A economia foi citada como maior preocupação para 15%, seguida por desemprego (12%) e inflação (10%).

A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. O Datafolha ouviu nesta rodada 2.556 pessoas em 181 municípios de todo o país.

Entre outros temas, também há destaque para a questão da educação, mencionada por 9% dos entrevistados. Ainda na seara econômica, há na lista 6% de citações ao problema da fome/miséria. Não souberam responder 5%.

No levantamento também foi feito uma separação de acordo com as intenções de voto de cada entrevistado para as eleições deste ano. Foi consolidado que os eleitores do ex-presidente Lula (PT), que lidera a pesquisa de intenção de votos à Presidência, demonstram ser mais preocupados com questões econômicas.

O trio economia/desemprego/inflação foi listado como uma das maiores preocupações por 42% nesse segmento, ante 37% da população em geral. Lula, por sua vez, tem reafirmado críticas à alta dos combustíveis e prometido descolar os preços do país do mercado internacional.

Entre os jovens de 16 a 24 anos, a menção à economia chega a 20%. A preocupação com a inflação atinge 14% entre quem tem escolaridade fundamental.

A questão da corrupção, citada por 5% dos entrevistados, sobe para 10% ao se levar em conta apenas os eleitores do presidente Jair Bolsonaro (PL). Em comparação com a época da Operação Lava Jato, o assunto chegou a liderar o ranking.

Leia Também

A violência/segurança foi mencionada agora por 3%. As respostas espontâneas dos entrevistados incluem ainda itens como o salário (1%), o Supremo Tribunal Federal (1%) e o presidente Bolsonaro (1%).

IMAGEM DO PAÍS

O Datafolha também questionou os eleitores sobre a imagem que o Brasil passa para o exterior no atual governo.

A maioria, 52% dos entrevistados, afirmara que a imagem piorou desde o início da gestão Bolsonaro. Para 24% a imagem do país ficou igual, e 23% entendem que ela melhorou. Não soube responder 1%.

Um dos principais focos de degradação da imagem do Brasil internacionalmente é a questão ambiental.  Na COP-26, conferência sobre o clima promovida em 2021, o presidente  Bolsonaro participou apenas com um vídeo gravado de 30 segundos, e a tentativa do Brasil de se comprometer com o Meio-Ambiente foi vista com desconfiança.

O levantamento do Datafolha mostra que os mais ricos e mais escolarizados estão mais pessimistas com a imagem do Brasil.

Entre os entrevistados com ensino superior, a porcentagem que vê piora sob Bolsonaro passa para 58%. Já entre quem tem renda familiar mensal superior a dez salários mínimos, a taxa fica em 56%.

No segmento que computa apenas eleitores do ex-presidente Lula, o índice negativo vai a 76%.

Entre os segmentos mais favoráveis ao presidente, estão os eleitores com 60 anos ou mais (onde 28% entendem que a imagem do país melhorou) e os evangélicos (33% veem melhora).

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários