Carlos Alberto dos Santos Cruz, general de divisão da reserva do Exército Brasileiro de farda olhando para frente
Commons/Sylvain Liechti - 18.03.2022
Carlos Alberto dos Santos Cruz, general de divisão da reserva do Exército Brasileiro de farda olhando para frente

Com dificuldade para formar palanques nos estados, o ex-ministro Sergio Moro tenta convencer o ex-ministro Alberto Santos Cruz a disputar o governo do Rio de Janeiro pelo Podemos. A hipótese é cogitada por Moro desde a filiação de Santos Cruz ao partido, em novembro do ano passado, mas ganhou força nos últimos dias.

O ex-ministro, entretanto, ainda reluta a aceitar em ideia. Embora diga que quer contribuir para o projeto de Moro, Santos Cruz tem confidenciado a pessoas próximas que prefere permanecer em Brasília, perto da família, onde mora atualmente. A opção preferencial do ex-ministro seria concorrer a uma vaga ao Senado.

Santos Cruz ainda não deu uma resposta ao convite de Moro, o que só deve ocorrer na próxima semana. Enquanto isso, a possibilidade segue em aberto.

Moro e o general se conheceram quando os dois foram escolhidos como ministros do governo Jair Bolsonaro, ainda no período de transição, em 2018.

Eles se uniram ainda mais por compartilharem histórias parecidas na saída da gestão atual, ambos rompidos com Bolsonaro após deixarem os respectivos cargos, um na Justiça e outro na Secretaria de Governo, respectivamente.

Leia Também

No período de pré-candidatura, Santos Cruz tem participado de diversas agendas ao lado de Moro e também atua como uma espécie de conselheiro. Na última terça-feira, esteve com o ex-juiz em agenda pela capital federal. Os dois chegaram e saíram juntos de um encontro com o Fórum Nacional de Filantropia (FONIF).

No Rio, o Podemos faz parte da base do atual governador Cláudio Castro (PL), aliado do presidente Jair Bolsonaro, e que não dará espaço para Moro em seu palanque. A possibilidade de o ex-ministro receber apoio do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, é considerada "sem a menor chance" pela campanha de Moro.

O ex-juiz federal também tem pressionado a presidente do Podemos, Renata Abreu, a concorrer ao governo de São Paulo, onde também não tem palanque garantido no momento. Na última semana, Renata tem sinalizado que não quer entrar na eleição estadual e busca uma alternativa. Ainda assim, Moro a trata como candidata nas redes sociais.

"Na 1ª pesquisa com o nome da Dep. Renata Abreu, nossa candidata para o Governo de SP, ela já aparece em 3° lugar com 7 pontos nas intenções de voto. Chegou a hora de termos uma mulher na liderança do maior Estado do Brasil. Chega de capachos de Lula e Bolsonaro", escreveu Moro, ontem.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários