Petrópolis
Fernando Frazão/Agência Brasil
Petrópolis

Na manhã desta segunda-feira (21), o comandante do Corpo de Bombeiros e Secretário de Defesa Civil, Leandro Monteiro defendeu um maior número de bloqueios na cidade para otimizar o traalho de resgate. Segundo Leandro, esse pedido foi feito desde o começo das operações, mas a demanda não teria sido atendida pelo prefeito de Petrópolis, Rubens Bomtempo.

De acordo com o comandante, a medida tem como objetivo diminuir o número de voluntários nos lugares de desastres, pois elas que atrapalham a atuação dos bombeiros e cães e facilitam o acesso dos “turistas de desastres”, ou seja, pessoas que circulam pela cidade somente para acompanhar a tragédia.

O secretário diz que a primeira solicitação foi feita na quarta-feira (16), um dia após o temporal. De acordo com Leandro, a sugestão feita pelos bombeiros era de restrições nos seis principais acessos ao município de Petrópolis.

As entradas seriam permitidas apenas para a imprensa, concessionárias, carros de salvamento, moradores com comprovante de residência e pessoas com reservas em hotéis da cidade.

O comandante dos bombeiros ressaltou que a circulação na cidade deve ser controlada visando a ida e vinda de equipes. Leandro também diz ser necessário o controle da presença nos locais onde potencialmente há a presença de corpos.

“A gente entende a ansiedade da pessoa que perdeu um filho, uma mãe, um pai, um amigo, mas ela precisa confiar no corpo de bombeiros”, disse o secretário.

Leia Também

Voluntários escavando a terra

Os voluntários que escavam a terra também estão incluídos no plano de controle de pessoas em áreas de desabamento.

“Não é a quantidade de bombeiros trabalhando no teatro de operações. Tem que ter técnica”, destacou.

Leandro Monteiro destacou que as áreas precisam estar livres, principalmente, para a atuação dos cães farejadores, que identificam pessoas embaixo da terra.

O Tenente-coronel Wendell, que responde onde pelas operações com cães, ressaltou que as áreas precisam estar livres para o avanço dos animais, que apontam os pontos onde estão possíveis vítimas da maneira mais rápida possível.

“A ação com cães tem objetivo Minimizar a área a ser trabalhada. Um cão em uma tela trabalhando substitui cerca de 25 homens”, afirmou o bombeiro.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários