Renato Casagrande e Sergio Moro
Reprodução
Renato Casagrande e Sergio Moro

O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB) enfatizou um comentário afirmando que o PT já fez alianças "até com satanás",  após ter sido alvo de críticas de petistas ao se encontrar com o presidenciável Sergio Moro (Podemos). Na ocasião, ambos tomaram um café no sábado (12/02) na residência oficial do governo espírito-santense, o que trouxe um clima negativo, dificultando uma federação com o partido do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

"O PT quando esteve no poder fez aliança até com satanás, agora vem querer regular quem o governador recebe? Me poupem desse falso moralismo ou puritanismo ideológico!", escreveu o subsecretário estadual de Políticas Sobre Drogas, Carlos Lopes, em uma rede social. Casagrande curtiu a publicação e comentou: "Boa afirmação, amigo!!!".

Moro é um dos principais adversários de Lula na corrida eleitoral deste ano, por esse motivo o encontro gerou incômodo no diretório capixaba do PT. Jackeline Rocha, a presidente da sigla no Estado avaliou que a reunião causou "desconforto".

"Infelizmente, foi um gesto ruim, sobretudo pelo fato de (Casagrande) ser um dirigente nacional e histórico do seu partido, com quem o PT dialoga uma agenda para o País. Não é uma divergência com o PSB em si, mas sim com o governador", disse ela.

O Espírito Santo representa um dos muitos fatores em desacordo para a formação de uma federação entre PT e PSB.

O governador capixaba afirmou, por meio de sua assessoria, que "está à disposição para receber as lideranças políticas que queiram conversar sobre o futuro do Brasil e do Espírito Santo". Ele destacou ainda que o "diálogo fortalece a democracia". Além de Moro, Casagrande já recebeu os presidenciáveis João Doria (PSDB) e Ciro Gomes (PDT).

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários