Mario Frias
Roberto Castro/Mtur
Mario Frias

Mario Frias, secretário especial de Cultura do governo federal, realizou uma viagem a Nova York em dezembro de 2021, ao custo total de R$ 39 mil. A viagem, realizada entre os dias 14 e 19 de dezembro, tinha o objetivo de discutir a produção audiovisual com o lutador de jiu-jítsu brasileiro Renzo Gracie.

De acordo com o Portal da Transparência do governo federal, os voos de ida e volta de Frias na classe executiva custaram R$ 26 mil (R$ 13 mil cada trecho). Em diárias, o secretário recebeu R$ 12,8 mil. Também foi contratado um seguro de R$ 305, totalizando R$ 39,1 mil.

O secretário da Cultura embarcou na companhia de seu adjunto, Hélio Ferraz, que também voou ao custo de R$ 26 mil e recebeu diárias de R$ 12,8 mil, mais seguro de R$ 261. No total, as viagens dos dois custaram R$ 78,2 mil aos cofres públicos.

Ainda segundo o Portal da Transparência, abastecido pelo governo federal, a viagem foi classificada como “urgente”.

Leia Também

A informação foi divulgada pelo colunista do jornal O Globo, Lauro Jardim.

Frias disse no início da tarde, em seu Twitter, que não pagou a quantia informada pela imprensa na viagem e disse que a finalidade da agenda não foi a informada.

Em justificativa apresentada no Portal da Transparência, alega-se que a viagem ocorreu porque o secretário foi convidado pelo roteirista Bruno Garcia e pelo lutador Renzo Gracie para “apresentarem um projeto cultural envolvendo produção audiovisual, cultura e esporte”. Sem mais detalhes sobre a viagem.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários