Rocha desaba em Capitólio (MG)
Montagem iG / Fotos: reprodução Twitter
Rocha desaba em Capitólio (MG)

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema, disse que a queda do paredão de um cânion, em Capitólio , foi algo imprevisível e fora do alcance dos mecanismos de fiscalização do poder público. O acidente matou 10 pessoas, sendo que cinco delas eram da mesma família .

De acordo com Zema, o desprendimento da rocha foi algo que nunca aconteceu antes, mas afirmou que o governo vai fazer análises anuais de riscos geológicos para evitar novas mortes.

"Acho que poderia (ser evitado) da mesma maneira que nós podemos evitar que nenhuma rocha venha a rolar de nenhuma montanha no Brasil. É algo inédito, que nunca aconteceu anteriormente. Nos últimos 100 anos, nós não sabemos de nenhuma ocorrência dessa. Então, seria algo muito difícil de se prever. E quando cai um raio? Quem é o responsável? É o prefeito?", questionou.

Ele afirmou que o local vai passar por uma "análise técnica de geólogos e colocar ali um nível de risco aceitável ou não". Segundo o governador, o turismo na região só será retomado quando houver segurança absoluta. "Queremos que toda a região continue atraindo turistas. Mas, a partir de agora, um cuidado adicionado será exigido, e teremos frequentemente uma análise do risco daquela região", acrescentou.

A Marinha e a Polícia Civil também vão investigar as causas do desprendimento da rocha. "Menos de 48 horas depois da tragédia já conseguimos resgatar e identificar as 10 vítimas. As famílias já sabem exatamente o que aconteceu. Não falamos mais em nenhum desaparecido ou em nenhuma vítima não identificada", disse ele.

Os  fragmentos corporais das vítimas da queda do paredão em Capitólio (MG) no último sábado (8) serão encaminhados a Belo Horizonte para fazer o cruzamento de material genético.

Leia Também

As buscas no Lado de Furnas continuam, segundo o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, mas a corporação acredita que todas as vítimas já tenham sido encontradas. Os bombeiros também procuram fragmentos da Lancha Jesus, onde estavam as pessoas que morreram no acidente, além de objetos pessoais.

Médico alertou sobre desabamento em 2012

Uma publicação de um médico voltou a viralizar nas redes sociais após a queda da rocha em Capitólio. Flávio Freitas, de 52 anos, passeava pela região em 2012, se deparou com o local e fez um registro na internet. "Essa pedra vai cair", escreveu na época.

Quase uma década depois, ele compartilhou novamente a imagem, e o post viralizou após o desabamento parcial de um paredão do local no último sábado (8) .

Segundo Freitas, que já visitou o município turístico duas vezes, não foi exatamente uma previsão, mas sim "uma constatação". Isso porque, explica o médico de Ilhabela (SP), a rocha apresentava um aspecto "perigoso". Ele ressalta que "não é geólogo, mas era realmente gritante".

Médico Flávio de Freitas alertou sobre risco de desabamento em Capitólio em 2012
Reprodução
Médico Flávio de Freitas alertou sobre risco de desabamento em Capitólio em 2012


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários