Capitólio: Bombeiros iniciam 3º dia de buscas por vítimas de acidente
reprodução / Twitter
Capitólio: Bombeiros iniciam 3º dia de buscas por vítimas de acidente

O Corpo de Bombeiros iniciou na manhã desta segunda-feira o terceiro dia de buscas por vítimas do deslizamento de parte de um cânion no lago de Furnas, em Capitólio, Minas Gerais. A equipe de resgates encontrou três corpos neste domingo,  elevando o número de mortos no acidente para dez pessoas.

As buscas, que haviam sido suspensas durante a noite por razões de visibilidade e segurança, foram retomadas por volta das 6h30 de hoje. Os militares ainda procuram por novos segmentos corpóreos e possíveis vitimas que não tenham sido localizadas, caso existam.

A operação tem participação de cerca de 50 militares, com 11 mergulhadores experientes. As buscas contam com o apoio de quatro lanchas e três motos aquáticas, além de outras sete viaturas, conforme balanço da corporação.

A Polícia Civil de Minas Gerais identificou na tarde deste domingo quatro corpos de vítimas do desabamento. Antes, o delegado regional de Passos, Marcos de Souza Pimenta, informou que que um homem chamado Júlio Borges Antunes, de 68 anos, já havia sido reconhecido e liberado para ser enterrado pelos parentes. Outros cinco corpos ainda carecem de identificação oficial.

Leia Também

As novas vítimas identificadas são Camila Silva Machado, de 18 anos, natural de Paulínia (SP); Mykon Douglas de Osti, de 24 anos, natural de Campinas (SP);  Sebastião Teixeira da Silva, de 64 anos, natural de Anhumas (SP) e a mulher, Marlene Augusta Teixeira da Silva, de 57 anos, natural de Itaú de Minas (MG).

Segundo o delegado, todas as vítimas se conheciam e estavam hospedadas em uma pousada em São José da Barra. Os dez mortos no acidente estavam na mesma lancha, chamada Jesus. Entre eles, há uma família de quatro pessoas: pai, filho e os avós.

A Marinha abriu um inquérito para apurar as causas e circunstâncias do acidente. A Polícia Civil também investiga o caso. Inicialmente foi informado que uma tromba d'água provocou a queda de pedras que atingiram lanchas que estavam na região. Antes, a Defesa Civil já havia advertido para a ocorrência de chuvas intensas.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários