Ricardo Nunes, prefeito de São Paulo
Marcelo Pereira/ Secom
Ricardo Nunes, prefeito de São Paulo

A tarifa de ônibus em São Paulo só será reajustado em 2022. O anúncio foi feito pelo prefeito Ricardo Nunes na manhã desta sexta-feira (24). O valor atual, que é de R$ 4,40, será mantido pelo menos até o Senado Federal decidir sobre o custeio da gratuidade dos idosos - o projeto de lei está em tramitação na casa.

O subsídio, segundo o prefeito, custa R$ 450 milhões para a cidade por ano. No mês passado, os prefeitos pediram para que o governo federal arque com a despesa. O último reajuste da passagem aconteceu em 2020, de R$ 4,40 para R$ 4,40.

No início da semana, surgiu a informação de que a Secretaria Municipal de Transporte e Mobilidade Urbana e os Técnicos da SPTrans sugeririam que a tarifa fosse elevada para R$ 5,08, com possibilidade de arredondamento para R$ 5,10 ou R$ 5. A notícia causou muita revolta da população nas redes sociais.

A justificativa para o valor foi a alta no IPCA, que chegou a 15,51% no acumulado entre dezembro de 2019 e novembro de 2021. O subsídio ao transporte público em São Paulo é de R$ 3,3 bi. A Prefeitura paga a diferença entre a tarifa e o custo de cada passageiro, que seria de R$ 8,71, segundo a administração municipal.

Embora a tarifa não tenha sido reajustada no início deste ano, passou a vigorar a revogação da gratuidade no transporte para pessoas parte dos idosos. Antes, a partir dos 60 anos a tarifa já era isenta, agora, a idade mínima passou a ser 65.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários