Kiko Spohr, Mauro Hoffmann, Marcelo de Jesus dos Santos e Luciano Bonilha Leão foram condenados
Reprodução/TJ-RS
Kiko Spohr, Mauro Hoffmann, Marcelo de Jesus dos Santos e Luciano Bonilha Leão foram condenados


O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, determinou a prisão dos quatro réus condenados no processo da boate Kiss . O julgamento, concluído na última semana, culminou na condenação do dono do estabelecimento, Elissandro Spohr, do sócio Mauro Hoffman, do vocalista banda, Marcelo de Jesus dos Santos, e do assistente de palco, Luciano Bonilha Leão.

Eles foram responsabilizados pelas 242 mortes que ocorreram na noite de 27 de janeiro de 2013, quando houve um incêndio na boate situada no município gaúcho de Santa Maria. Outras 636 pessoas ficaram feridas.



Segundo informações do G1, a decisão do ministro atende a um pedido do  Ministério Público do Rio Grande do Sul (MP-RS) que pediu a suspensão do habeas corpus preventivo concedido pelo Tribunal de Justiça do estado aos réus. A decisão agora revogada suspendia a execução da pena, permitindo que os condenados recorressem em liberdade.


Condenação no Tribunal do Júri

O julgamento no Tribunal do Júri do Foro Central de Porto Alegre chegou ao fim na última sexta-feira (10) após 10 dias na corte. Elissandro Callegaro Spohr recebeu a maior pena: 22 anos e seis meses de prisão. O sócio dele, Mauro Hoffmann, foi condenado a 10 anos e seis meses. Já os integrantes da banda, Marcelo de Jesus e Luciano Bonilha , foram condenados a 18 anos. Todos eles respondem pelos crimes de homicídio simples com dolo eventual . A decisão prevê o cumprimento da pena em regime fechado.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários