Protesto terminou em pancadaria na Alerj
reprodução / Twitter
Protesto terminou em pancadaria na Alerj

Um grupo de manifestantes antivacina tentou invadir a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) após a votação de um projeto de lei contra o passaporte da vacina . O grupo foi contido pelos seguranças do local, mas houve conflito. Não há informações de feridos ou presos.

Muitos estados e municípios já exigem o comprovante de imunização para quem quer frequentar shows, cinemas, bares, entre outros locais. O projeto de lei (PL) votado nesta quarta-feira prevê que seja proibida a entrada de pessoas que se recusaram a tomar a vacina contra a Covid-19 nos lugares. O PL 4919/2021, de autoria dos deputados Filipe Soares (DEM) e Márcio Gualberto (PSL), saiu da pauta do dia após emendas no texto. No entanto, não há data para nova discussão em plenário.

No Rio de Janeiro, o prefeito Eduardo Paes (PSD) adotou a obrigatoriedade do cartão de vacinação para acessar determinados locais . O projeto dos deputados também se coloca contra a decisão dele.

Durante a votação de outros projetos que estavam em pauta no dia, o presidente da Casa, André Ceciliano (PT), chamou a atenção para o uso de máscara contra a Covid-19 e chamou de "vergonha" o fato de os manifestantes estarem quebrando os vidros do local.

"Quebraram o vidro. É isso aí, a gente já conhece essas vergonhas. Vou retirar o projeto de pauta e não entra, hein?", ameaçou Ceciliano na ocasião. Depois, ele pegou o microfone e pediu que eles "dessem o exemplo", na tentativa de contê-los.

"A presidência está nos tratando com máximo respeito, por favor, pelo amor que vocês têm a Deus, precisamos dar o exemplo. Aqui na Alerj todos os debates estão sendo permitidos, não há necessidade disso. Isso não ajuda", afirmou.

Veja o vídeo:

Leia Também



Passaporte da vacina

A adoção do  passaporte da vacina tem sido uma discussão polêmica entre a população mundial. No Brasil, ao menos 20 capitais já exigem o comprovante para frequentar eventos ou entrar em determinados estabelecimentos.

Especialistas defendem a medida como forma de evitar a transmissão da doença, principalmente com o avanço da recém-descoberta variante Ômicron, apontada como mais transmissível em estudos preliminares . Além disso, a necessidade de apresentar o certificado estimula a adesão à vacinação.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários