Wassef, advogado de Flávio Bolsonaro
Reprodução
Wassef, advogado de Flávio Bolsonaro

Senado sabatina André Mendonça por vaga no Supremo Tribunal Federal
O advogado do senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ), Frederick Wassef, teve a entrada barrada no Supremo Tribunal Federal (STF) nesta terça-feira (1) por não apresentar comprovante de vacinação contra a Covid-19. O certificado de vacinação é pedido no tribunal desde o dia 03/10 ; quem não estiver vacinado, deve apresentar teste negativo de Covid-19 feito até 72 horas antes.

O advogado esteve no Supremo por conta do julgamento de uma ação do Ministério Público do Rio sobre o foro privilegiado de Flávio Bolsonaro no caso das rachadinhas [clique aqui e saiba mais].

No julgamento, houve  anulação de quatro dos cinco relatórios de movimentações financeiras do senador que embasaram as investigações do MP. O foro privilegiado de Flávio também foi mantido. [Clique aqui e saiba detalhes]

Segundo o STF, Frederick Wassef foi barrado "por não apresentar o comprovante de vacinação, exigido a todos que frequentam o tribunal, conforme o artigo 4º da Resolução 748/2021. Informado pela segurança de que poderia participar de forma online, o advogado foi receptivo às regras".

Leia Também

Após o julgamento, o advogado e Flávio Bolsonaro concederam entrevista coletiva no Senado, mas ela foi interrompida após os entrevistados se irritarem com perguntas sobre o comprovante de vacinação.

"A pauta é sobre o mérito da decisão do STF. Em outro momento a gente faz perguntas dessa natureza", reclamou Wassef

"Isso [ter sido barrado] não tem nada a ver com o assunto", complementou Flávio Bolsonaro.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários