Advogado de Flordelis diz que pastora
Reprodução
Advogado de Flordelis diz que pastora "está tranquila" com julgamento dos filhos

O advogado Rodrigo Faucz esteve na manhã desta terça-feira (23) na penitenciária Talavera Bruce, no Complexo de Gericinó, na Zona Oeste do Rio, onde a ex-deputada federal está presa. Segundo ele, a pastora está tranquila em relação ao  julgamento dos filhos Flávio dos Santos e Lucas Cezar dos Santos. Faucz espera que, no júri, não sejam levantadas questões referentes à segunda fase do processo, na qual Flordelis foi indiciada como mandante da morte do pastor Anderson do Carmo, em junho de 2019.

"Ela está tranquila, espera que falem efetivamente o que aconteceu. Não terá problema algum, basta que falem a verdade. Ela esta tranquila quanto a isso. Vamos acompanhar para ver se tudo vai transcorrer bem. Esperamos que façam um julgamento do Flávio e do Luca e não sejam levantadas questões que sejam alheias a esse processo. A principio não irão levantar elementos relacionados a ela, à segunda fase do processo. O foco deve ser em relação a ele. Não tem como acusarem algo que não seja verdade."

Flordelis não estará presente no julgamento dos filhos. Seus advogados poderão acompanhar a sessão, marcada para começar as 13h, já que também defendem uma filha da pastora, Marzy, e a neta Rayane. Ambas acusadas de envolvimento na morte de Anderson. Os seis defensores das rés pediram à juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce para acompanharem o julgamento, mas a magistrada permitiu só um por acusada. Assim, três advogados comparecerão.


Marzy e Rayane são rés no segundo processo, junto com Flordelis. Além delas, outros três filhos da pastora - André, Carlos e Simone - foram acusados de envolvimento na morte de Anderson após a segunda fase das investigações. Outro filho, Adriano, também é réu, mas por participar da elaboração de um plano para atrapalhar as investigações do caso.

Flordelis foi presa na noite do dia 13 de agosto, dois dias após ter perdido seu cargo de deputada federal. Ela teve o mandato cassado após os deputados terem entendido que a pastora cometeu quebra de decoro parlamentar. A prisão preventiva — sem prazo para terminar — foi decretada pela juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários