Colégio Estadual Thales de Azevedo, em Salvador (BA)
Reprodução/TV Globo
Colégio Estadual Thales de Azevedo, em Salvador (BA)

O Colégio Estadual Thales de Azevedo, em Salvador (BA), manifestou uma nota de repúdio após uma professora de filosofia ser intimada a comparecer em uma delegacia por apresentar conteúdo considerado 'esquerdista' em sala de aula . O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB) também quebrou o silêncio e disse que o caso é uma "tentativa de intimidação, coação e pressão psicológica por grupos de extrema direita".

A professora de filosofia foi denunciada por uma aluna e a mãe dela na Delegacia Especializada de Repressão a Crime Contra Criança Adolescente (Dercca). Os nomes das envolvidas não foram divulgados pela Polícia Civil.

Na denúncia, a aluna alegou que a docente utilizou conteúdo "inadequado e ideológico", com temas relacionados a questões de gênero, racismo, assédio, machismo e diversidade.

Segundo a Associação dos Professores Licenciados do Brasil (APLB), a professora precisou ser levada a um hospital para atendimento médico após receber a intimação e ficar abalada emocionalmente.

Tanto o sindicato, quando o colégio informaram que prestaram apoio psicológico à professora.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários