Prevent Senior
Divulgação
Prevent Senior

Quatro médicos que trabalham na  Prevent Senior e que foram convocados para depor na CPI da Câmara Municipal de São Paulo, recusaram o pedido e não compareceram na data anteriormente marcada para esta quinta-feira (04). 

A CPI aprovou uma nova convocação que exige que os médicos compareçam presencialmente à CPI no dia 11 de novembro. Segundo presidente da comissão, o vereador Antônio Donato (PT), os depoentes enviaram um e-mail nesta manhã dizendo que só irão depor virtualmente, justificando a ausência. 

O presidente recusou o pedido de Daniella Cabral de Freitas, Rafael de Souza Silva, Rodrigo Barbosa Esper e Sérgio Antônio Dias Silveira. Por meio de um novo requerimento, foi determinado a convocação dos profissionais para o dia 11 de novembro.

Os profissionais conseguiram um habeas corpus, permitindo que ficassem em silêncio até que fossem assistidos por um advogado. O verador Donato reforçou que o pedido foi "desnecessário", pois a CPI investiga a rede de hospitais e não a conduta individual de cada médico. 

Leia Também

Segundo o vereadoe, caso os depoentes não apareçam na nova data, caberá condução coercitiva. "Se uma nova convocação não for cumprida, aí é condução coercitiva, é a regra das CPIs, vale em Brasília e vale aqui", disse. 

A Prevent Senior é investigada sobre a prescrição de medicamentos do “kit Covid”, alteração de certidões de óbitos de pacientes, ameaças aos médicos para prescreverem remédios ineficazes, entre outras outras acusações. 



    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários