Relatório da CPI da Covid deve apontar 25 nomes para indiciamento, diz Randolfe
Pedro França/Agência Senado
Relatório da CPI da Covid deve apontar 25 nomes para indiciamento, diz Randolfe

O senador e vice-presidente da  CPI da Covid no Senado, Randolfe Rodrigues, afirmou, em entrevista ao Uol News, que o relatório final da comissão deve apontar para, pelo menos, 25 nomes a serem indiciados. Além disso, o senador também deu uma possível data para o final da CPI, que deve ser entre os dias dias 20 e 25 de setembro.

"Diria que teremos de 25 a 30 nomes de indiciados. Não vejo como o presidente da República pode escapar de indiciamento. Ele já responde a inquérito no STF (Supremo Tribunal Federal) por prevaricação, tem um conjunto de outros crimes, não tem como não constar o nome do presidente da República", afirmou o senador.

Além de apontar para um possível indiciamento de Bolsonaro, Randolfe também afirmou que a  CPI vai procurar uma maneira alternativa de levar as denúncias e provas produzidas adiante. Segundo ele, o procurador-geral da República, Augusto Aras, é complacente com o presidente e poderia não dar prosseguimento às denúncias. 

"Vamos trabalhar para que o que foi apurado não ficar somente como um longo texto". E completou: " (O relatório) Será vastíssimo, apontando não somente crimes de responsabilidade, mas uma infinidade de crimes comuns, e também contra a humanidade, o que pode levar a responsabilização em tribunal internacional. Os crimes cometidos aqui não prescreverão em dois anos. Há aqueles que acham que podem estar protegidos pelo presidente da Câmara (Arthur Lira, PP-AL) e da PGR (Procuradoria Geral da República), mas alguns tipos penais não irão prescrever", disse.

A comissão planeja "estratégias jurídicas alternativas", como ação penal subsidiária da pública, caso "haja desídia" por parte de Aras. "Não aceitaremos ficar nas mãos somente do PGR", completou Randolfe Rodrigues.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários