A funcionária relatou que era agredida e mantida em cárcere privado
Reprodução/TV Bahia
A funcionária relatou que era agredida e mantida em cárcere privado

Raiana Ribeiro da Silva, de 25 anos, ficou ferida após pular do terceiro andar de um prédio para escapar das agressões que sofria por parte de sua patroa. O caso aconteceu em Salvador, na Bahia, na última quarta-feira (25).  

A jovem sobreviveu à queda, mas fraturou um dos pés. O caso está sendo investigado pela 9ª Delegacia Territorial (DT/Boca do Rio). Segundo a Polícia Civil, a patroa, identificada como Melina Esteves França, será ouvida ainda nesta quinta-feira (26). 

Raiana trabalhava no local há menos de uma semana, mas a partir do momento que as agressões começaram ela não conseguiu mais escapar da situação. Em entrevista para a TV Bahia, afiliada da TV Globo, a jovem disse que ficou mantida em cárcere privado após comunicar a patroa que deixaria o emprego. 

“Ia fazer oito dias hoje [que estava trabalhando lá], mas a agressão começou na terça-feira. Começou porque eu falei para ela que não dava mais para mim, que eu ia sair na quarta-feira. Aí ela falou: ‘Vou te mostrar, vagabunda, se você sai’. E aí começou a me agredir”, disse. 

Segundo depoimento, Melina teria trancado Raina no banheiro, momento em que a babá decidiu fugir. Ela relatou que não comia ou bebia desde terça-feira.

O advogado que representa a funcionária, Bruno Oliveira, disse que o caso se enquadra em crime de cácere privado. Segundo ele, o apartamento era equipado com câmeras de segurança que poderão servir para investigação do caso. 


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários