Depois do frio, previsão é de calor intenso e ar seco nesta semana no país
FreePick/Divulgação
Depois do frio, previsão é de calor intenso e ar seco nesta semana no país

Uma grande massa de ar quente e seco vai predominar sobre o Brasil ao longo desta semana, interrompendo a temporada de frio intenso, segundo previsão do Climatempo.

De acordo com os meteorologistas, as temperaturas vão subir nos próximos dias por amplas regiões e muitas cidades vão registrar calor intenso.

As temperaturas mais altas são esperadas entre terça e sexta-feira em áreas do Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Rondônia, Acre, Amazonas. Alguns pontos podem chegar perto dos 40°C.

Ainda há previsão de bastante calor no interior do Paraná, de São Paulo e de Minas Gerais, com temperaturas na casa dos 35°C.

As capitais do Sul e do Sudeste também terão elevação significativa na temperatura. No Sul a capital mais quente deve ser Porto Alegre. O dia mais quente será na quinta, com máxima de 33°C.

No Sudeste, a capital mais quente será o Rio De Janeiro, com máximas que chegam aos 33°C até o fim da semana. Já em São Paulo, entre quarta e sexta, as máximas vão ficar próximas dos 30°C, o que não acontece desde março deste ano.

Você viu?

Umidade baixa

De acordo com o Climatempo, preocupa para essa semana os níveis de umidade, que seguem baixos pela falta de chuva, o que aumenta o risco de queimadas.

O ar mais seco e quente será notado principalmente no interior do Paraná, no Centro-Oeste do país, interior nordestino, sul da Amazônia e no interior de SP e Minas Gerais.

Penas já ultrapassam 64 anos:João de Deus é condenado em processo de violação sexual mediante fraude

A umidade relativa do ar vai atingir índices críticos, abaixo de 20% em amplas áreas do interior paulista, entre o noroeste de Minas e o Triângulo Mineiro, Mato Grosso do Sul, Goiás, DF, Mato Grosso, oeste da Bahia, sul do Piauí e do Maranhão e Tocantins.

A umidade também tende a cair, com valores abaixo de 30% nas demais áreas de São Paulo, inclusive na capital, em Belo Horizonte, pelo sertão do Nordeste, em Rondônia e no sul do Pará.

Além disso, a falta de chuva prolongada deixa o ar e o solo secos. Essa falta de umidade faz com que a vegetação fique muito seca e mais propensa a pegar fogo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários