Cassação da deputada Flordelis é votada nesta quarta-feira (11)
Fernando Frazão Agência Brasil
Cassação da deputada Flordelis é votada nesta quarta-feira (11)


Flordelis foi presa por volta das 18h40 desta sexta-feira (13). A ex-deputada federal é acusada de ter  mandado assassinar seu marido, o pastor Anderson do Carmo. Até a última quinta-feira (12) ela tinha imunidade parlamentar e respondia em liberdade, mas utilizava uma tornozeleira eletrônica.

"Olá gente, chegou o dia que ninguém desejaria chegar. Estou indo presa por algo que eu não fiz, por algo que eu não pratiquei. Eu não sei para quê, mas estou indo com força e com a força de vocês. Orem por mim. Orem, orem. Uma corrente de oração na internet. Busquem a deus, está bom? Um beijo, amo vocês", disse a ex-deputada em um vídeo publicado em suas redes sociais.


Você viu?

Flordelis teve o mandato cassado pelo plenário da Câmara dos Deputados  e, assim, o Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) encaminhou à Justiça o pedido de prisão.

Na decisão, o promotor Lucas Caldas Gomes Gagliano afirmou que a ex-deputada planejou o assassinato, influenciando familiares a participarem do crime que aconteceu em Niterói em junho de 2019. Flávio dos Santos, filho biológico do casal, teria efetuado os disparos contra Carmo e Lucas César dos Santos teria intermediado a negociação da arma utilizada, uma pistola 9mm.

Leia também:  "Meus pais sempre se amaram": filha defende Flordelis e chama irmãos de ingratos

Simone dos Santos Rodrigues, também filha biológica, afirmou em uma audiência que era abusada sexualmente pelo pastor e confessou que pagou R$ 5 mil para a irmã, Marzy Teixeira da Silva, colocar o plano em prática. Rodrigues também afirmou ter jogado os celulares de Flordelis, Lucas e Anderson no mar para que não restassem provas.

Mas Flordelis nega sua participação no assassinado do marido e acusa Simone de ser a autora do crime.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários