Casal de golpistas de SP presos no RIo
Reprodução/O Globo
Casal de golpistas de SP presos no RIo

A Justiça do Rio decidiu manter presos, em audiência de custódia realizada nesta sexta-feira, quatro suspeitos de aplicarem golpes com cartão de crédito na Zona Sul do Rio. Moradores do estado de São Paulo, Thais Taina Gama Byns, de 24 anos, e o namorado, Richard Bruno Costa, de 30, estavam com Gabriel Fernando Costa de Jesus e Jorge Felipe Ferreira da Silva, ambos de 18 anos, em Copacabana, quando foram detidos pela Polícia Civil, na última quarta-feira. Na decisão, o juiz Antonio Luiz da Fonsêca Lucchese, da 1ª Vara Criminal Especializada, frisa "a gravidade em concreto do crime" cometido pelo grupo.

"Com os indiciados os policiais teriam arrecadado quatro máquinas de crédito e débito, existindo informes de que eles estariam aplicando golpes na compra e fruição de serviços por meio de cartões de crédito, além dos indicativos dereiteração criminosa, já que tais práticas estariam se dando ao menos desde fevereiro deste ano", pontuou o magistrado ao manter as quatro prisões.

O casal Thais Taina e Richard Bruno era alvo de duas investigações na polícia paulista por estelionato. De acordo com o delegado Felipe Santoro, titular da 13ª DP (Ipanema), responsável pela prisão, os quatro foram levados à delegacia depois de agentes terem sido alertados sobre um grupo de paulistas que estava praticando golpes na região. Ao passarem pela Rua Joaquim Nabuco, os policiais viram um Onix prata avançando sinais e invadindo as faixas de pedestres. Ao abordar o veículo, encontraram máquinas de cartões de crédito, celulares na caixa além de um laptop.

Na distrital, eles contaram ter chegado ao Rio na madrugada do último sábado, dia 7, tendo se hospedado em um hotel de luxo na orla de Copacabana. No local, eles desembolsaram mais de R$ 6 mil. Em depoimento, Richard contou que, em março, viu no Instagram postagens de um perfil que oferecia o serviço de cancelamento de compras efetuadas em cartões de crédito e de débito. Nas publicações, o anunciante informava que bastava ligar para as operadoras e informar sobre uma cobrança indevida que o valor era imediatamente estornado.

Você viu?

Richard, então, disse que, apesar de não contratar o tal serviço, resolveu testar a transação, tendo feito o primeiro cancelamento de compras de supermercado em maio, recebendo cerca de 20 dias depois R$ 200 estornados. Ele confessou ter repetido a ação por quatro vezes - duas no Rio, no valor de R$ 6 mil, em uma loja de video games na Avenida Rio Branco, no Centro, e em um shopping no Méier; e outras duas em São Paulo.

O rapaz contou, ainda, que revendeu as mercadorias por valores mais baixos a pessoas conhecidas, que realizavam os pagamentos a ele por meio de maquininhas de cartões. Ele afirmou também que começou a praticar esse tipo de fraude para pagar contas e negou que Thais, Gabriel e Jorge participassem do esquema criminoso.

Em fotos publicadas em redes sociais, os quatro ostentam hábitos de luxo, como viagens, passeios de lancha e carros importados. Com eles, foram apreendidas quatro chaves de veículos da marca Volvo.

"Na análise dos registros de ocorrência feitos no Rio e em São Paulo, constatamos que a atuação desse grupo criminoso especializado em crimes de estelionato é semelhante nos dois estados. As investigações prosseguem e, caso alguém mais tenha sido lesado por eles, pedimos que compareça a delegacia", disse o delegado Felipe Santoro.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários