Roberta Massot é mãe da menina que recebeu comentários racistas
Reprodução/Facebook
Roberta Massot é mãe da menina que recebeu comentários racistas

A Polícia Civil do Rio investiga uma mulher por ofensas raciais contra uma menina de 2 anos na internet. Tudo começou quando a psicóloga Roberta Massot publicou um vídeo de sua filha em uma rede social, no qual a criança aparece dizendo que quer ir para a escola. Em resposta ao vídeo, uma internauta enviou uma mensagem à psicóloga dizendo que a menina tem um "raiz de cabelo um pouco dura".

O caso foi registrado na 72ª DP (São Gonçalo), na última quinta-feira, como injúria por preconceito, tendo como motivo presumido a intolerância racial .

Em entrevista ao "RJ1", da TV Globo, Roberta Massot contou que rebateu a ofensa. Ao ser questionada sobre a filha ter a raiz "dura", ela respondeu: "Não, ela tem a raiz crespa. Por quê?". Mas a pedagoga Érica Gomes voltou a ofender a menina: "A raiz dela é dura mesmo. Não é crespa não".

"Em pleno século 21 ainda ter que ficar batendo nessa mesma tecla. E eu sempre falei que desde a minha primeira filha eu ia começar a lutar mais ainda contra o racismo porque eu não queria que elas passassem pelo que eu passei", contou Roberta ao "RJ1".

Você viu?

Nas mensagens, Roberta ainda tentou o diálogo, dizendo: "Não, Érica, não existe cabelo duro. Se você estudar um pouco vai ver que o que existe é cabelo crespo. Não entendi o porquê da sua pergunta e muito menos a maneira ofensiva a qual se referiu ao cabelo da minha filha".

A outra internauta, no entanto, insistiu que tinha o direito de comentar: “Flor, você expõe sua filha, então as pessoas dão a opinião que quiserem. Se não quer exposição não coloque vídeo, fotos etc. Se está nas redes sociais, eu falo o que eu quiser. Em vez de ficar aqui querendo ou achando alguma coisa, leve suas filhas ao salão e aproveita e tira as melecas delas”.

Após levar o caso à Polícia Civil, a advogada Michelle Vargas, que representa a mãe da criança, também vai entrar com um processo contra a suspeita.

"Estou preparando o processo já. Eu já peguei toda a documentação da Roberta e da criança e com base no registro de ocorrência a gente vai fundamentar o pedido na injúria racial. (...) Na internet as pessoas acham que estão escondidas, mas não estão", disse a advogada à TV Globo .

Procurada pela produção do RJ1, Érica Gomes respondeu que foi orientada a falar somente em juízo. A Polícia Civil disse que as investigações estão em andamento e que a suspeita vai ser ouvida na delegacia de São Gonçalo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários