Edgar Napolitano, acusado de matar a ex-mulher em São Paulo
Reprodução
Edgar Napolitano, acusado de matar a ex-mulher em São Paulo

SÃO PAULO — Uma mulher de 33 anos foi baleada e morta pelo ex-marido nesta quinta-feira no estacionamento de um mercado na Zona Leste de São Paulo. O caso é o segundo feminicídio registrado na cidade em uma semana. Na terça-feira, uma jovem de 16 anos morreu ao ser baleada pelo ex-namorado na Zona Oeste.

Paloma Oliveira, 33, recepcionista em uma seguradora, foi sequestrada e morta na noite de quinta-feira pelo ex-marido, Edgar Napolitano, 37 anos. A filha mais velha do casal, de 18 anos, relatou à polícia que o homem chegou à casa da ex-mulher, onde familiares e amigos reuniam-se, ‘’bastante alterado’’ e armado, segundo informações da Secretaria de Segurança Pública (SSP). Ele sequestrou Oliveira e, com um carro, levou-a à força ao estacionamento de um mercado na Avenida Aricanduva.

Após discussão, câmeras do local captaram o momento em que Napolitano atirou duas vezes na ex-mulher, por volta das 21h. A vítima tentou fugir enquanto era alvejada. Em seguida, Napolitano fugiu no mesmo carro em que efetuou o sequestro, segundo a investigação.

A Polícia Militar foi acionada, mas a vítima morreu no local. Napolitano está foragido, e a polícia busca informações sobre seu paradeiro. Ele teria abandonado o carro em que fugiu, e a arma do crime ainda não foi encontrada.

Familiares da vítima informaram à polícia que o assassino enviou a eles uma imagem de Oliveira baleada. A imagem foi encaminhada à perícia junto com o celular da vítima, no qual estariam registradas as ameaças de Napolitano contra a ex-mulher.

O mecânico teria cometido o assassinato em represália à separação do casal, ocorrida há cerca de um mês. Antes, o homem já havia sido preso por dois meses por agredir a ex-companheira. A vítima possuía uma medida protetiva contra o agressor.

Você viu?

Além da jovem de 18 anos, Paloma Oliveira deixou dois filhos, de 7 e 11 anos. O caso é investigado pelo 30º Distrito Policial como feminicídio, violência doméstica, cárcere privado, sequestro e ameaça. Em nota, a SSP informou que segue a investigação em busca da localização e prisão do autor do homicídio.

Segundo caso na semana

Na terça-feira (15), a adolescente Thalya Hellen, de 16 anos, foi morta pelo ex-namorado Thayan Alves Yorinobu, 23 anos. O crime aconteceu na casa de Thayan, na Lapa, Zona Oeste.

Após balear a ex-namorada, Alves tentou cometer suicídio, mas foi socorrido com vida e atendido no Hospital de Clínicas. Ele estaria inconformado com o final do namoro turbulento de cerca de um ano com a jovem e buscava retomar o relacionamento.

Em nota, a SSP informou que Yorinobu foi preso em flagrante e está internado sob custódia. Ele teve também a prisão preventiva decretada pela Justiça. O caso é investigado pelo 4ª Delegacia de Defesa da Mulher, na Freguesia do Ó, como feminicídio, violência doméstica, tentativa de suicídio e porte ilegal de arma.

*Estagiária sob supervisão de Mauricio Xavier

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários