Bicicleta elétrica furtada de casal foi encontrada
Reprodução
Bicicleta elétrica furtada de casal foi encontrada

Policiais da 14ª DP (Leblon) recuperaram, na tarde desta quinta-feira, dia 17, a bicicleta elétrica furtada de Mariana Spinelli e Tomás Oliveira, no último sábado, na porta do Shopping Leblon , na Zona Sul do Rio. O equipamento, comprado por R$ 8 mil, seria revendido por R$ 1.500 para um receptador, que ainda não foi localizado. A bicicleta estava na porta de uma vila, em uma rua sem saída nos arredores do Largo do Machado , na mesma região.

Na noite de ontem, Igor Martins Pinheiro, de 22 anos, foi preso pelos agentes da delegacia suspeito do furto. Em seu apartamento, em Botafogo , foram localizados a bermuda que ele usava no momento do crime e ferramentas, como alicate de corte usado para romper cadeados. Imagens de câmeras de segurança, obtidas por O GLOBO, flagram a ação de Igor, que demorou menos de dois minutos.

O vídeo mostra o rapaz disfarçando na esquina, arrombando o cadeado, subindo na bicicleta e saindo pedalando rapidamente. Em seu Relatório de Vida Pregressa (RVP), Igor possui 28 anotações criminais, 14 delas por furto a bicicletas.

Mariana e Tomás estão sendo acusados de racismo  pelo instrutor de surfe Matheus Ribeiro, por terem interpelado o jovem, minutos depois do crime, no mesmo local. O rapaz estava em uma bicicleta idêntica a deles, de acordo com o depoimento que prestaram na delegacia.

Você viu?

O caso ganhou repercussão nas redes sociais depois que Matheus publicou um vídeo em seu perfil no Instagram narrando como aconteceu a abordagem do casal. “Ela não tem ideia de quem levou sua bicicleta, mas a primeira coisa que vem à sua cabeça é que algum neguinho levou”, escreveu. Ele fez um registro de ocorrência online narrando ter sido acusado de roubo por Mariana Spinelli e Tomás Oliveira.

— Minha intenção com essa denúncia não é ter um ganho pessoal, direcionado aos dois. É uma questão de racismo na sociedade inteira. Minha intenção é fazer com que as pessoas entendam que acusar um negro sem que ele tenha feito nada é grave precisa ser levado a sério — disse, em entrevista ao GLOBO.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários