Monique Medeiros, mãe do menino Henry
Tânia Rêgo/Agência Brasil
Monique Medeiros, mãe do menino Henry

Thaise Mattar Assad, advogada de Monique Medeiros , mãe do menino Henry , declarou a colunista Juliana Dal Piva, do Uol, que sua cliente está sendo proibida de ver televisão e ter acesso a informações. Ainda ressalta que professora não fica sozinha com sua família, após a morte de seu filho.

“Ela só vem a ter noção (que Henry não morreu de acidente doméstico) momentos depois, quando começou a ser envolvida num enredo com mentiras e a ser pressionada, bloqueada de ver televisão, notícias, ter acesso à família, ao próprio carro, e treinada para dar uma versão única”, declarou a advogada.

Monique e Jairinho foram apreendidos no dia 8 de abril , após serem apontados como os principais suspeitos da morte de Henry Borel , de apenas quatro anos. Eles estavam juntos no dia da prisão na casa de uma familiar do político, em Bangu, zona oeste do Rio de Janeiro. Assad afirma que professora ficou “presa" devido ao enredo criado por Jairinho .

“Chegou um determinado ponto ali, de quando se aproximou de ela ir depor e tudo começou a tomar uma proporção maior do que o Jairinho gostaria, que ela ficou totalmente presa à família dele e ao enredo dele e a situação exposta da forma como ele gostaria. A Monique só conseguiu mudar de advogado depois que foi presa”, compartilhou.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários