Pai foi acusado de abusar sexualmente das três filhas, no interior do Acre
M.T ElGassier/Unsplash
Pai foi acusado de abusar sexualmente das três filhas, no interior do Acre

Na zona rural de Tarauacá, no interior do Acre , um homem foi condenado a mais de 62 anos de prisão por abusar sexualmente das três filhas, de 14, 15 e 19 anos. Embora o caso ter sido descoberto recentemente, segundo as investigações, os  abusos começaram quando elas ainda eram crianças. As informações são do portal G1 .

A mãe das vítimas tomou conhecimento da situação em setembro do ano passado e o caso foi denunciado à polícia. O acusado, de 53 anos, foi julgado nesta terça-feira (20) e condenado por estupro de vulnerável, estupro, ameaça e violência doméstica. Ele não pode recorrer do resultado em liberdade. A defesa do homem, no entanto, disse que aguarda o posicionamento dele para recorrer ou não contra a decisão.

Segundo a publicação, o acusado está preso desde outubro de 2020 na Unidade Prisional Moacyr Prado. O caso chegou à polícia quando uma das vítimas denunciou o pai para uma tia e a família decidiu procurar ajuda. De acordo com o promotor de Justiça do Ministério Público do Acre (MP-AC), Daisson Gomes Teles, e mãe das meninas disse que chegou a ver uma vez o marido com uma das filhas , mas não o denunciou por medo.

"Maltratava a família, tem denúncia de violência doméstica. É uma pessoa bem agressiva. Uma das filhas foi morar em Rio Branco porque não aguentava mais morar lá. Foi morar com a tia e essa tia disse que tinha um padrasto e que no passado esse padrasto tinha abusado dela. Ela falou para a mãe e a mãe separou, mas nunca foram para a delegacia. Dias depois, a menina chamou a tia e contou. A partir daí surgiu a história e a família resolveu denunciar", explicou o promotor ao G1 .


Abusos

Segundo as vítimas, os abusos começaram assim que elas completaram oito anos. Elas relataram sofrer ameaças do  pai e já chegaram a flagrá-lo abusando uma das outras. O promotor disse que o homem negou as acusações durante o julgamento. O crime, de acordo com ele, é muito comum no interior do estado, e as famílias nem sempre denunciam o agressor por medo. "Foi uma grande vitória porque é uma pessoa muito perigosa, estava abusando das filhas com frequência. Nós não podemos aceitar essas condutas. Esses casos são muito frequentes no interior, mas não é normal e as pessoas precisam denunciar", concluiu Teles.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários