Polícia Civil
Reprodução
Polícia Civil

Nesta terça-feira (06), em Minas Gerais , a Polícia Civil concluiu uma investigação sobre um diretor de uma escola , de 33 anos, que foi acusado de estupro de vulnerável, tráfico de drogas, associação para o tráfico e corrupção de menores. Caso aconteceu em Itaúna e homem que também é professor, está preso de forma preventiva desde março de 2021. As informações foram apuradas pelo Metrópoles.

Leonardo Pio, é o delegado responsável pelo andamento do caso e disse que a conclusão da investigação e em seguida a prisão do suspeito , ocorreu devido ao trabalho conjunto elaborado pelas polícias civis de Itaúna. “Trata-se de uma resposta aos criminosos dessas espécies delitivas tão repugnantes que a PCMG está atenta e atuará sempre com rigor. Para as vítimas e os seus familiares, é a certeza de que, tão logo denunciados, os fatos serão apurados com eficiência e celeridade”, declarou.

O diretor foi investigado por cinco indiciações por estupro de vulnerável , corrupção de menores, lesão corporal, associação ao tráfico e tráfico de drogas. “Se somadas as penas, e o suspeito condenado, essas poderão superar os 80 anos de reclusão”, ressaltou o delegado.

Em filiação com o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), a Polícia Civil realizou a operação “ Save the kids ” que ocasionou a prisão do abusador, em Itaúna. A apreensão tinha como denuncia os crimes de estupro de vulnerável, tráfico de drogas e corrupção de menores. O companheiro do investigado, um adolescente, também foi apreendido e encaminhado para a delegacia.

O delegado Pio conta que as investigações teve seu início em novembro do ano passado e apurou a denúncia contra um diretor escolar, que também era professor e líder comunitário, sob os crimes de abuso e aliciamento de crianças e adolescentes. “Recebemos informações de que o investigado aliciava as vítimas, fornecendo a elas dinheiro, presentes, comidas e favores a troco de prática de sexo com ele”.

Com o desdobramento das investigações, duas vítimas foram identificadas, uma de 14 e outra de 15 anos. A polícia também descobriu que o diretor já havia sido registrado em delegacias pelo crime de estupro de vulnerável. Cumprindo três mandados de busca e apreensão na caso do investigado, as autoridades levaram dois celulares, vários pen drives, porções de maconha e dois computadores. 

Material está sendo analisado durante inquérito policial. Abusador pode pegar cerca de 80 anos de prisão somando a pena de todos os crimes.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários