Presidente Jair Bolsonaro
Reprodução
Presidente Jair Bolsonaro

Um professor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) acusa a reitoria da faculdade de censurar um vídeo produzido pela coordenação de jornalismo da instituição que fazia referência ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) . As informações são da coluna da Mônica Bergamo para a Folha de S. Paulo .

O acontecimento fez com que Marco Mondaini deixasse o cargo de diretor de Núcleo de TVs e Rádios Universitárias (NTVRU) da UFPE . "Não há dúvida de que houve censura ", afirma o professor. Na última sexta-feira (19), a coordenação de jornalismo da instituição publicou um vídeo solicitado pelo NTVRU, no qual defendia a importância do isolamento social para a contenção da Covid-19 e trazia uma sequência de notícias sobre o avanço da doença no Brasil.

"Bolsonaro diz que lockdown 'não dá certo' e volta a criticar governadores", dizia uma dessas notícias. "Era uma manchete, não havia nenhum ataque ao presidente, nenhuma adjetivação", afirma Mondaini, que compartilhou o conteúdo em um grupo de WhatsApp com membros da gestão da UFPE no mesmo dia.

"Quando eram 19h30, tocou o meu telefone. Era a superintendente de comunicação dizendo que o reitor havia solicitado a retirada da referência ao Bolsonaro", conta ele. "Eu imediatamente disse que não concordava, que não faria isso. Que sairia em defesa dela e pela manutenção do vídeo do jeito que ele se encontrava. Ato contínuo, coloquei o meu cargo à disposição".

"Menos de uma hora depois, ela me ligou comunicando que o reitor havia aceitado o cargo". Mondaini disse que convocaram uma reunião na segunda (22) entre ele e o reitor, Alfredo Macedo Gomes, que "durou três minutos". "Ele me agradeceu os serviços prestados e pronto, terminou o encontro", diz o professor.

No mesmo dia, a universidade publicou uma nota informando que "causou estranhamento a posição do ex-diretor do Núcleo de TV e Rádios Universitárias de colocar o cargo à disposição sem procurar dialogar". Além disso, no comunicado, a UFPE afirmou que "sempre respeitou e trabalhou para o fortalecimento da autonomia do Núcleo".

"A orientação da comunicação institucional que projetamos deve refletir o espírito de resistência dialógica e republicana, fundamentada em leitura mais ampla da quadra histórica que estamos vivendo. Neste sentido, a UFPE trabalha para fortalecer a Comunicação Pública e o protagonismo e a representatividade da sociedade civil neste processo", continua o texto.

Você viu?

De acordo com o professor, o posicionamento da universidade foi "covarde", já que não menciona a censura. "Eles procuram me responsabilizar pelo ato de censura , dizer que não fui aberto ao diálogo, que me neguei a dialogar, que e a crise teria se aberto por isso. Não existe censura soft ou censura hard . Isso representa claramente um ato de censura", diz.

Confira a nota da UFPE na íntegra:

"Nota da UFPE sobre o NTVRU

A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), ao longo de toda a pandemia, tem se posicionado abertamente em defesa da vida, da ciência, do isolamento social e do uso de máscaras, como é notório pelas medidas adotadas institucionalmente e como foi reforçado na nota divulgada no dia 18/03/2021 (https://www.ufpe.br/agencia/noticias/-/asset_publisher/dlhi8nsrz4hK/content/nota-da-ufpe-sobre-o-momento-atual-da-pandemia/40615).

No contexto de radicalização da sociedade e de negação da ciência, a UFPE tem também se posicionado de forma inequívoca em defesa de políticas públicas e pautas sociais que fortaleçam a Universidade Pública; tem lutado contra os cortes orçamentários; contra os vetos ao Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT); defendido a autonomia universitária e o respeito à decisão da comunidade na escolha do/a reitor/a eleito/a; defendido a continuidade das cotas e respeito ao meio ambiente; criticado a falta de coordenação nacional no enfrentamento da pandemia, dentre outras pautas importantes e urgentes.

O episódio em tela faz referência a vídeo institucional que faz parte da campanha mais ampla que a UFPE vem promovendo para elevar o compromisso e a conscientização de toda sociedade no enfrentamento da covid-19. O objetivo é falar para todas as pessoas, superar a gramática da polarização, visando a sensibilização da sociedade neste momento de tentativa de desqualificação das instituições da república.

Por realizar uma gestão democrática, com capacidade dialógica e construção participativa da universidade pública, inclusiva, plural, diversa e laica, causou estranhamento a posição do ex-diretor do Núcleo de TV e Rádios Universitárias (NTVRU) de colocar o cargo à disposição sem procurar dialogar. A gestão da UFPE sempre respeitou e trabalhou para o fortalecimento da autonomia do Núcleo, o que é atestado na forma democrática de construção da minuta de seu Regimento Interno, que será apreciada em breve pelo Conselho de Administração.

A orientação da comunicação institucional que projetamos deve refletir o espírito de resistência dialógica e republicana, fundamentada em leitura mais ampla da quadra histórica que estamos vivendo. Neste sentido, a UFPE trabalha para fortalecer a Comunicação Pública e o protagonismo e a representatividade da sociedade civil neste processo.

A UFPE reafirma o respeito e a proteção à liberdade de cátedra e de imprensa e à pluralidade de ideias, garantias irrenunciáveis do Estado de Direito. A gestão agradece o trabalho desenvolvido pelo professor Marco Mondaini, reiterando o respeito por todas e todos que fazem o NTVRU."

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários