Presidente Jair Bolsonaro
Marcos Corrêa/PR
Presidente Jair Bolsonaro lamentou contas de extremistas suspensas e alfinetou jornalistas

Jair Bolsonaro (sem partido) falou nesta terça-feira sobre a exclusão de contas em redes sociais,  como ocorreu com Donald Trump após incitar uma insurreição que culminou na  invasão do Capitólio — que deixou cinco mortos.  Segundo o presidente, trata-se de "censura às mídias sociais".

"Minha adorada imprensa, vocês nunca tiveram tanta liberdade como em meu governo. Nunca se ouviu falar em meu governo em controle social da mídia ou democratização da mesma", disse, durante eventou no Palácio do Planalto em celebração dos 160 anos da Caixa Econômica Federal.

Bolsonaro disse, ainda, que a imprensa tem "liberdade demais" e que as contas suspensas não concorrem com a dos jornalistas. "Uma estimula a outra", seguiu.

O presidente faz críticas à imprensa constantemente. Ele já chegou a dizer que jornalistas e demais profissionais de meios de comunicação são "canalhas e mentirosos".

Após a suspensão da conta de Trump e de centenas de extremistas, apoiadores do republicano trocaram suas imagens de perfil no Twitter por uma fotografia do presidente.  Entre eles, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) — filho "03" de Jair.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários