Os moradores da região contaram que a situação se agravou nos últimos dias
REPRODUÇÃO/WHATSAPP
Os moradores da região contaram que a situação se agravou nos últimos dias

Na manhã desta sexta-feira (19), a Prefeitura Municipal de Brumadinho (MG) notificou a MIB Mineração Ibirité LTDA pelo escoamento de lama do sistema pluvial da empresa e invasão da estrada que liga a comunidade de Córrego do Feijão ao distrito de Casa Branca. As informações são do jornal Estado de Minas .

Segundo a publicação, os efluentes sólidos também escoaram para dois afluentes do Rio Paraopeba, mas não tiveram prejuízo ambiental imediato. Apesar da situação ter se agravado nos últimos três dias, segundo os moradores, o problema é recorrente. "Lama nos córregos da região é constante", disse um deles.

Conforme a administração municipal, os fiscais da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável foram até o local e constataram que a empresa – que tem licenciamento ambiental emitido pelo estado – construiu diversas bacias de contenção no solo. No entanto, devido às fortes chuvas que atingiram o município nesta sexta, teriam ficado sobrecarregadas. A Defesa Civil de Brumadinho informou que foram 48 mm em seis horas.

A Prefeitura deu à mineradora um prazo de cinco dias para apresentar um relatório sobre as condições da área de mineração e das bacias de contenção, e que faça a drenagem da lama. De acordo com o jornal, a Secretaria de Meio Ambiente e a Defesa Civil do município continuarão acompanhando as ações da companhia. 

Defesa

Em nota, a MIB Mineração Ibirité Ltda disse que "a empresa não opera com o sistema de barragem de rejeito e não tem nenhuma barragem de rejeito em operação ou desativada".

A empresa informou que, com a intensidade das chuvas nas últimas horas, "ocorreu um pequeno carreamento de sólidos", gerando "um pequeno assoreamento nas proximidades". A MIB ainda escreveu que "não houve nenhum dano e não existe nenhum tipo de risco".

"É compreensível a preocupação, haja vista o ocorrido na região pelo rompimento da barragem da Vale. Entretanto, as operações da MIB não causam nenhum risco dessa natureza, pois além de não operar com barragem de rejeito, investiu em tecnologia para tratamento de rejeitos", concluiu.

    Leia tudo sobre:

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários