A decisão foi tomada após uma briga com o proprietário do local
Reprodução
A decisão foi tomada após uma briga com o proprietário do local

O dono de um bar localizado no bairro Rio Tavares, no Sul da Ilha de Santa Catarina , em Florianópolis (SC) , destruiu o próprio estabelecimento após se desentender com o locador do imóvel na tarde desta segunda-feira (01). A Polícia Militar e a Polícia Civil foram acionadas. 

Segundo Leonardo Budim, dono do Rock In Beer e autor da destruição, o imóvel foi alugado por ele em setembro de 2018 e o contrato foi fechado direto com o proprietário no valor de R$ 6 mil por mês. O dono do bar disse que o prédio estava em situação de abandono quando foi locado. O imóvel tinha sido invadido por usuários de droga e moradores de rua, e ele afirmou que gastou cerca de R$ 800 mil com a reforma.

No entanto, no início do ano passado, com a chegada da pandemia, o empresário precisou fechar o bar, então não conseguiu pagar o aluguel. Em novembro, Leonardo teria feito um acordo com o proprietário para pagar as parcelas atrasadas e pagou R$ 28 mil ao locador. Porém, o proprietário entrou com uma ação de despejo em dezembro por falta de pagamento do aluguel e alegando que o acordo era inválido. Leonardo, então, decidiu destruir o espaço e filmou a ação.

Nas imagens, o empresário aparece com uma barra de ferro quebrando a fachada do estabelecimento. "Gastei R$ 800 mil reformando esse prédio e agora vai ficar assim. Vou entregar para ele desse jeito. Estou quebrando todos os apartamentos lá em cima e vou quebrar tudo. Vou quebrar tudo e entregar como eu peguei esse prédio. Não tinha elétrica, não tinha hidráulica, não tinha telhado, nem nada", diz Leonardo.

Você viu?

Caso foi parar na polícia

Em um dos vídeos da confusão, o proprietário do imóvel, Vicente Palono Júnior, de 76 anos, aparece em frente ao estabelecimento tentando impedir que algo mais seja quebrado. No mesmo dia, ele registrou um boletim de ocorrência na delegacia e argumentou ter uma ordem de despesa contra o inquilino.

Palono diz que, de acordo com o contrato, as melhorias realizadas no prédio deveriam permanecer no imóvel, dessa maneira, acusa o inquilino do crime de apropriação indébita. O proprietário também disse que Leonardo ameaçou destruir o prédio ao ser avisado da ordem de despejo.

"Há 13 meses que não recebo o aluguel. Ele [Leonardo] ainda não foi notificado da ação de despejo, mas está encaminhada. Ele começou quebrando tudo já na sexta-feira. Arrancou tudo, lajotas do chão, privadas, pias, janelas, furou telhas, quebrou portas, tirou o forro. Destruiu o prédio", descreve Vicente.

O proprietário também disse que Leonardo não cumpriu o acordo firmado por eles no final do ano passado. "O prédio estava vazio antes porque eu queria vender, mas começou a ser invadido. O Leonardo fez uma proposta para alugar e eu aceitei. Falei pra ele que se ele quisesse reformar, era por conta dele. Reconheço as melhorias que ele fez, mas agora ele destruiu tudo. Eu pretendia vender o prédio por R$ 1,8 milhão, mas agora estou pedindo R$ 500 mil", diz.

Agora, o proprietário do imóvel pretende entrar com uma ação de cobrança judicial e outra criminal por perdas e danos.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários