Estação de Tratamento de água do Gandu
Luis Alvarenga / Governo do Estado do Rio de Janeiro
Estação de Tratamento de água do Gandu

Na noite de quinta-feira (21), no Rio de Janeiro , a Estação de Tratamento do Guandu, responsável pelo fornecimento de água em vários municípios da cidade, suspendeu sua produção e foi retomada somente na manhã desta sexta-feira (22), contabilizando cerca de 10 horas de paralisação . As informações foram apuradas pelo O Globo. 

Na quinta (21), clientes voltaram a reclamar sobre mau cheiro e gosto ruins da água, como aconteceu no início do ano de 2020 . Mais de 24 bairros registraram reclamações e em alguns casos, falam até sobre a coloração da água. 

De acordo com a Cedae , a decisão foi tomada através da nova análise feita que detecta a presença de algas na lagoa próxima a estação. "O protocolo operacional definido no plano de contingência do Guandu, operando as barragens da captação e paralisando a ETA por algumas horas na noite passada, de maneira preventiva". 

Você viu?

A empresa ainda informa que regiões que estão no sistema de fornecimento da estação podem ficar sem água e em até 48 horas a situação pode vir a ser normalizada. Casas com caixas d’água ou cisterna, não devem ser desabastecidas. A Cedae ainda informa que montou em plano especial para atender hospitais e outros serviços essenciais com carros-pipa, em caso de alguma eventualidade. 

Segundo a Ceade, "três fatores levam à proliferação de algas nos mananciais: água parada, presença de nutrientes e luz solar. O fenômeno ocorre com maior frequência no verão, exigindo medidas preventivas para manutenção da qualidade da água que sai das estações de tratamento". 

A empresa ainda faz um apelo para que os "clientes que possuam sistemas de reserva usem água de forma equilibrada e adiem tarefas não essenciais que exijam grande consumo". 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários