Presidente Jair Bolsonaro ao lado do ministro da Saúde Eduardo Pazuello
Reprodução/Youtube
Presidente Jair Bolsonaro ao lado do ministro da Saúde Eduardo Pazuello

Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a defender, nesta quinta-feira (7), o tratamento precoce com cloroquina e ivermectina, remédios cuja eficácia contra a Covid-19 não é comprovada. O presidente disse, ainda, que casos graves de Covid-19 podem ser prevenidos com exposição ao sol e realização de atividades físicas.

"A cloroquina, a hidroxicloroquina, anitta, ivermectina, existem há décadas. Quando o pessoal está com verme, é comum receitar a ivermectina, que eu tomo uma vez por ano, sempre tomei isso aí. Agora, por coincidência, isso passou também a ajudar a diminuir a carga viral. É uma constatação de dezenas, de milhares de médicos", disse, em sua primeira live do ano.

Em seguida, Bolsonaro alfinetou a Rede Globo e o ex-ministro da saúde, Luiz Henrique Mandetta. "A alternativa é ficar em casa como incentivava a TV globo e seu marketeiro Mandetta? Você vai fazer o quê se não tem remédio? (...) Tem comprovação científica? ainda não, mas mal não faz", continuou. O presidente, mais uma vez, não apresentou nenhum dado científico que embasasse suas afirmações.

"Quem tem uma vida atletica, cuidando da saude, fazendo exercicio, a chance é 40% menos de contrair o vírus e ele se instalar de forma grave. A questão da vitamina D também. Pesquisas dizem que, quem tem taxas altas de vitamina D, não sente absolutamente nada."

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários