A principal suspeita é a de que Jehoash morreu após inalar monóxido de carbono expelido pelo gerador.
Arquivo pessoal
A principal suspeita é de que Jehoash morreu após inalar monóxido de carbono expelido pelo gerador.

A Polícia Civil do Amapá está investigando a morte de Jehoash Vitor Monteiro, de 24 anos. Em 6 de novembro, ele foi encontrado morto após passar a madrugada no seu local de trabalho em Porto Grande, a 102 km de Macapá. As informações foram dadas pelo UOL .

Jehoash era técnico em informática e funcionário da empresa Webflash, que fornece internet banda larga em Porto Grande. O corpo dele foi encontrado depois que outro funcionário da empresa chegou para trabalhar.

Segundo a Polícia Civil, testemunhas disseram que o jovem estava no local de trabalho para ter energia com o gerador movido a óleo diesel, uma vez que a cidade estava sem eletricidade. O  apagão que atinge o estado do Amapá teve início na noite do dia 3 de novembro .

A suspeita das autoridades é de asfixia por inalação do gás de monóxido de carbono expelido pelo gerador de energia que estava ligado no momento em que Jehoash dormia na empresa.

Não havia indícios de violência no corpo de Jehoash e o imóvel também não apresentava sinais de arrombamento. Além disso, a vítima estava em uma sala com o gerador sem entradas de ventilação.

A Polícia Civil informou que, a princípio, Jehoash não estava no horário do expediente.

A investigação apura se a Webflash cometeu alguma conduta criminosa que resultou na morte da vítima. Durante esta semana, funcionários da empresa serão ouvidos.

Em nota, a Webflash declarou que “vem prestando todo apoio à família do colaborador e lamenta profundamente a sua perda, solidarizando-se com seus familiares e amigos".

"Eu daria minha vida pela sua mil vezes se fosse preciso. Agora, tudo o que eu tenho são suas lembranças, e não são suficientes", escreveu a mãe de Jehoash, na última segunda-feira (9), em rede social.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários