pacientes sendo transferidos
Reprodução/TV Globo
Pacientes retirados do Hospital Federal de Bonsucesso foram levados para borracharia

Um  incêndio  atingiu o Prédio 1 do Hospital Federal de Bonsucesso , no bairro de mesmo nome, na Zona Norte do Rio , na manhã desta terça-feira (27). Durante a transferência para outra unidade, uma mulher de 42 anos, que estava internada em estado gravíssimo com Covid-19, acabou morrendo, de acordo com o coordenador assistencial do hospital, Carlos César Assef. As informações são do G1 e UOL.

Segundo o Corpo de Bombeiros, as chamas foram controladas às 11h30, e as equipes trabalhavam no rescaldo. Entretanto, por volta das 12h50, ainda saía fumaça negra das instalações . A corporação trabalha também com o risco de desabamento no Prédio 1. Os técnicos da Defesa Civil estão no local para avaliar a estrutura da unidade atingida pelo fogo.

Como apurado pela TV Globo, a prioridade dos bombeiros era resfriar a ala, para evitar que os cilindros de oxigênio explodissem, e impedir que as chamas se alastrassem para outras áreas.

Pacientes transferidos

De acordo com o G1, cerca de 200 pacientes foram transferidos para outras áreas do próprio hospital, e uma parte deles aguardava atendimento sob uma árvore, no pátio interno. Alguns dos internados estavam no meio do tratamento quando tiveram que sair às pressas, outros estavam entubados, e havia quem estivesse com Covid-19.

Como a fumaça se alastrou, a direção também optou por esvaziar parte do Prédio 2, onde se localiza a UTI neonatal e a Maternidade. Alguns pacientes foram levados de maca ou em colchões para uma borracharia ao lado do complexo.

Além disso, cerca de 30 internados foram transferidos para outras unidades da rede pública do Rio, como o Souza Aguiar, no Centro, o Evandro Freire, na Ilha do Governador.

Em entrevista ao UOL, a técnica de enfermagem Tassiana Freitas, afirmou que a situação foi crítica durante a evacuação. " Tem pacientes que não sabemos aonde está , estão perdidos e estamos procurando, porque saímos todos juntos. Não tivemos recursos. Não tem mais ninguém no prédio 1, estamos esvaziando outros", disse.

Causa desconhecida

Segundo o portal UOL, as primeiras informações indicam que o fogo começou pouco antes das 10h e os primeiros bombeiros chegaram aproximadamente 10 minutos depois.

A causa do incêndio ainda é desconhecida e, de acordo com o Corpo de Bombeiros, a origem só poderá ser determinada após a perícia que será feita no local. As testemunhas e o tenete-coronel Lauro Botto, porta-voz dos Bombeiros, afirmaram que o problema foi percebido incialmente no almoxafirado, onde há muitas fraldas guardadas, o que pode ter contribuído para o fogo aumentar.

"A enfermaria do prédio 1, onde se originou o incêndio estava com metade da capacidade, ou seja, haviam 200 pacientes no local. Eles foram levados para outros prédios do hospital. O incêndio pelo que sabemos até agora se originou então no subsolo, onde tem um estoque de fraldas, mas isso precisa ser avaliado direitinho pela perícia", disse Botto.

    Veja Também

      Mostrar mais