dória
Reprodução
Defesa de João Doria vai recorrer contra bloqueio de bens do governador

A defesa do governador de São Paulo, João Dória, vai recorrer da decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo,  que bloqueou, nesta terça-feira (20), R$ 29 milhões em bens do governador e o acusou de improbidade administrativa.

O advogado do governador, Marcio Pestana, citou as eleições municipais ao falar sobre a ação movida pelo Ministério Público de São Paulo. Doria não está na disputa, mas apoia o candidato e atual prefeito, Bruno Covas, aliado de PSDB. 

"A ação civil pública citada encontrava-se sem movimento desde julho de 2019 e, curiosamente às vésperas das eleições municipais, foi retomada com a apreciação da liminar requerida pelo MP", afirmou Pestana.

E completou: "A defesa de João Doria não concorda com os motivos e fundamentos invocados pelo magistrado para decretar a indisponibilidade dos seus bens, especialmente porque Doria jamais dilapidaria o seu patrimônio para evadir-se das suas responsabilidades. A defesa recorrerá ainda esta semana ao Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo para reverter a decisão que tem caráter liminar", prometeu Marcio Pestana.

Mais cedo, Dória já havia comunicado que iria entrar com um recurso contra a decisão. Em seu Twitter, ele comentou que "não houve benefício pessoal algum".



Motivo do bloqueio

O MP alega que, quando Doria era prefeito da cidade de São Paulo, usou R$ 29 milhões de forma irregular. Esse valor era destinado para fazer propaganda do programa "Asfalto Novo". Mas, na época, segundo a denúncia, Doria utilizou a verba para fazer propaganda de si mesmo.

    Veja Também

      Mostrar mais