Doria
Reprodução
Doria volta a comentar soltura de André do Rap

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), voltou a criticar a soltura de André de Oliveira Macedo, conhecido como André do Rap , acusado de chefiar o PCC (Primeiro Comando da Capital) . Em entevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, Doria comentou que os esforços para recuperar o - agora foragido - André do Rap já representa uma despesa de R$ 2 milhões aos cofres públicos de São Paulo.



Segundo o governador, o investimento é renovado a cada 120 dias até a prisão do suspeito. Os custos, ainda de acordo com Doria, são dedicados à aquisição de equipamentos, gestão de equipes e pagamentos de diárias aos profissionais da Polícia Militar, Polícia Civil e Polícia Científica envolvidos na força-tarefa. 

Dá vontade de mandar a conta para o ministro", reforçou Doria, referindo-se ao ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal , responsável pela decisão liminar que entende a detenção como ilegal, baseado no artigo 316 do pacote anticrime, que exige revisão de prisões preventivas a cada 90 dias. Horas depois, porém, o presidente da corte  determinou a volta de André do Rap à prisão   - o acusado, porém, já estava foragido.

Essa não foi a primeira vez que João Doria comentou o caso. Há dois dias, também em entrevista coletiva, o governador classificou a saída de André do Rap "pela porta da frente da Penitenciária e ingressando em uma BMW" como um "deboche". Doria ainda classificou a decisão como um "erro profundo".

    Veja Também

      Mostrar mais