bolsonaro
Carolina Antunes/PR
Membro de órgão de diereitos humanos critica bolsonaro por ameaça

O relator de liberdade de expressão da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), Edison Lanza, criticou a hostilidade do presidente Jair Bolsonaro ao repórter "O Globo". Após ser questionado sobre os depósitos de Fabrício Queiroz na conta de Michelle Bolsonaro, o presidente ameaçou de agressão o jornalista: "Estou com vontade de encher a tua boca na porrada, tá?"

"Não consigo encontrar um exemplo da hostilidade mais grosseira de um alto funcionário à imprensa e de expor o jornalista à violência", afirmou Lanza em seu Twitter.

Conforme antecipou a revista "Época", Lanza irá analisar a representação feita pelo senador Randolfe Rorigues (Rede-AP), em que pede para que o órgão acompanhe as violações contra a liberdade de imprensa no Brasil.

O senador solicitou que a comissão da OEA apure "eventual licitude" do comportamento do presidente e que seja nomeado um observador externo para para acompanhar a situação da liberdade de imprensa no Brasil.

O documento cita o levantamento da Federação Nacional de Jornalistas (Fenaj) que apontou, só no primeiro semestre, 245 ataques promovidos pelo presidente contra o jornalismo e 32 ataques dirigidos a jornalistas específicos.

"No presente caso, temos justamente o oposto do que se poderia esperar da autoridade máxima da República: em vez de proteger e estimular o trabalho jornalístico, prefere dele escarnecer ou agredir os seus profissionais, visando cercear a sua atuação", diz o texto.

O senador também apresentou um pedido de abertura de inquérito, no Supremo Tribunal Federal (STF), contra o presidente Jair Bolsonaro por conta da ameaça.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários