Em meio à pandemia de Covid-19 alunos assistem aula
AGENCIA O GLOBO/
Em meio à pandemia de Covid-19 alunos assistem aula

As dificuldades em ter de frequentar escola ou universidade , de modo presencial ou remoto, fizeram com que 8,7 milhões de estudantes não tivessem nenhuma atividade escolar em julho. Os dados são da Pnad Covid , divulgada nesta quinta pelo IBGE. É a primeira vez que o IBGE pergunta sobre educação dentro da pesquisa realizada para medir o impacto na pandemia na vida dos brasileiros. A faixa etária considerada contempla alunos de 6 até 29 anos.

Ao todo, 19,1% dos estudantes não tiveram aula no mês. No sentido contrário, 72% dos alunos, ou 32,6 milhões, tiveram atividades no período. O restante, o equivalente a 8,9%, estava de férias no período.

Segundo Maria Lucia Vieira , coordenadora da pesquisa do IBGE, os dados mostram profundas desigualdades regionais. No Norte, quase 40% dos estudantes do ensino fundamental e quase metade dos do ensino médio ficaram sem atividades escolares em julho.

Por outro lado, no Sul, 91,7% dos que estavam no fundamental e quase 90% das do ensino médio realizaram atividades escolares. Além disso, os números indicam uma desigualdade por renda:

Você viu?

— Quanto menor a renda da família, maior o percentual de estudantes que não tiveram atividades escolares durante a pandemia — observa Maria Lúcia.

Levantamento feito pelo jornal O Globo mostrou que, depois de cinco meses da interrupção das aulas, dos 17 estados que responderam aos questionamentos da reportagem, apenas cinco financiam o acesso à internet para os alunos: Espírito Santo, Maranhão, Paraíba, Minas Gerais e São Paulo. 

Ou seja, embora os outros estados disponibilizem material on-line, não há o custeio do acesso para os estudantes, o que faz com que pelo menos 5,7 milhões de alunos tenham que arcar com os custos de internet para estudar na escola pública.

Na tentativa de aumentar as desigualdades, o Ministério da Educação anunciou que disponibilizará internet para cerca de 400 mil estudantes em situação de vulnerabilidade das instituições federais de ensino. Segundo o MEC , há 900 mil estudantes em situação de vulnerabilidade na rede federal, o que inclui das universidades, os institutos federais e os colégios Pedro II.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários