Isabele foi atingida por tiro acidental
Redes sociais
Isabele foi atingida por tiro acidental

Uma perícia feita na investigação da  morte da adolescente Isabele Guimarães Ramos, de 14 anos, alvejada pela amiga com a arma do pai dentro de um condomínio de luxo em Cuiabá, mostra que a arma cujo tiro acertou a garota estava a uma distância de 20 a 30 centímetros do rosto dela.

A informação, divulgada pela TV Centro América, mostra que o laudo do dia 7 de agosto também aponta que o tiro foi dado a uma altura de 1,44m. A garota já estaria dentro do banheiro no qual foi encontrada morta pelos socorristas quando recebeu o disparo, que entrou pela região do nariz e transfixou a cabeça dela.

Como a trajetória da bala que transfixou a cabeça da garota foi reta, os peritos pontuaram que a pessoa estava na frente da vítima e teria uma altura de entre 1,40m e 2m. A distância máxima do corpo da pessoa que atirou em Isabele para ela foi de 1,40m, considerando que esse suspeito estaria com os braços esticados na hora do tiro, o que é apenas uma das possibilidades analisadas pela polícia.

Nesta quarta-feira (12), outra análise pericial do crime mostrou que, ao contrário da versão dada pela amiga de Isabele, o tiro disparado não foi acidental (quando a arma dispara “sozinha” ao cair no chão). Ele pode, porém, ter sido involuntário (quando o responsável pelo crime aperta o gatilho sem intenção, mas termina acionando a arma).

Isabele foi morta no dia 12 de julho. A versão inicial dada pelos advogados da família da amiga dela afirmam que a garota estava guardando uma das armas do pai no quarto quando ela caiu no chão e disparou na menina. O pai da garota, que não teve identidade revelada, foi preso e solto após pagamento de fiança.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários