crianças
EBC/ARQUIVO
A prefeitura do Rio de Janeiro autorizou, no dia 20 de julho, o retorno às atividades presenciais nas escolas privadas a partir do dia 3 de agosto


Um estudo desenvolvido pelo Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) identificou que houve um crescimento de 200% no número de novos casos do novo coronavírus (Sars-cov-2) entre crianças e adolescentes no mês de julho no estado. 


A pesquisa foi publicada na segunda-feira (3) e apresentou que o aumento de novos casos em julho foi maior entre 0 e 19 anos e em idosos entre 60 e 79 anos. Segundo o coordenador do Núcleo, professor Lauro Mattei, a velocidade acelerada do contágio entre crianças não existia nos meses passados, conforme declarações veículadas no G1 .

O percentual de novos casos da doença é alto em todas as faixas etárias, mas, entre as crianças há um grau elevado e inesperado, figurando com alta que deixa este grupo próximo ao índice de novos casos em idosos.

Os novos casos de Covid-19 em crianças de 0 a 9 anos foi de 735 em 2 de julho para 2.250 em 30 de julho, em números absolutos. E de 2.250 em 30 de julho, na faixa etária entre 10 e 19 anos. O professor destca o mês de julho, pois neste período houve o aumento da média de casos por dia, em Santa Catarina, que faz com que o estado permaneça em ritmo acelerado de contaminação.

Santa Catarina tem  88.889 mil casos confirmados de coronavírus, com 1.196 mortes , segundo dados recentes do governo do estado. A rede pública do estado está com 82,1% dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiava) ocupados. 

    Veja Também

      Mostrar mais