animal olhando para o lado
Ivan Mattos/Zoo de Brasília
Ensaio fotográfico da cobra naja que picou estudante de 22 anos

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) foi obrigado por decisão da Justiça de Brasília a afastar uma servidora identificada como Adriana da Silva Mascarenhas por suspeita de emitir uma licença ilegal para transporte de serpentes não permitidas no Brasil.

O pedido de afastamento foi feito de forma preventiva pela Justiça, já que a servidora tem acesso às dependências do Ibama e poderia interferir nas investigações sobre a suposta quadrilha de tráfico de animais, da qual faria parte o estudante Pedro Krambeck, picado no dia 7 de julho por uma naja que criava em casa.

A licença supostamente emitida pela funcionária do Ibama foi encontrada durante a Operação Snake enquanto a polícia civil fazia buscas na casa de Pedro. A funcionária será investigada por envolvimento com tráfico de animais silvestres.

Até o momento, mais de 15 animais ilegais foram apreendidos em endereços ligados ao estudante. Parte deles, incluindo a naja, está no zoológico de Brasília. Uma ação movida por advogado de Brasília pede que o estudante pague os custos da estadia do animal ali .

    Veja Também

      Mostrar mais