cobra
Ivan Mattos/Zoo de Brasília
Ensaio fotográfico da cobra naja que picou estudante de 22 anos

O estudante Pedro Henrique Krambeck, picado por uma naja no começo do mês e suspeito de integrar uma rede de tráfico de animais no Distrito Federal , só deve prestar depoimento à polícia no mês de agosto pois, por indicação médica, deve repousar nas próximas semanas.

Segundo atestado médico apresentado à polícia nesta sexta-feira (17), Pedro precisará passar 18 dias de repouso, já que se recupera de uma internação hospitalar. Ele foi encaminhado a uma unidade de saúde particular de Brasília após ser picado pelo animal que criava em casa, um dos mais venenosos do mundo, e ficou em coma por dias.

Depois da picada da naja, que foi encaminhada ao zoológico de Brasília, a polícia encontrou mais 16 cobras ilegais que podem ser de propriedade do estudante escondidas em regiões do Distrito Federal.

    Veja Também

      Mostrar mais