leitos vazios
Gil Leonardi / Imprensa MG
Hospital está sem pacientes; Governo do estado alega não ter demanda


Um hospital de campanha instalado no Expominas, no bairro Gameleira, em Belo Horizonte, foi inaugurado há 9 dias, mas até agora não recebeu pacientes da Covid-19 . Segundo o governo estadual, não existe demanda de pacientes ainda.


A Secretaria de Estado da Saúde (SES) afirmou que o hospital tem “conceito de ‘porta fechada’”. Isso significa que a instalação só será utilizada “após deliberação” da secretaria para que a habilitação de leitos seja realizada.

O local tem capacidade para 768 leitos, mas apenas 20 de enfermaria e 10 de estabilização estão habilitados. Não há previsão de chegada de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

No entanto, o hospital já dispõe de recursos humanos para o funcionamento: são 20 médicos, 20 técnicos de enfermagem, cinco psicólogos e 100 soldados da Polícia Militar. A secretaria afirmou em nota que “o Hospital de Campanha entrará em funcionamento quando houver demanda”

“Apenas será encaminhado ao Hospital de Campanha o paciente que estiver em condições de receber alta dos leitos dos hospitais da Rede Fhemig”, afirmou a SES ao jornal O Tempo.

Assim, só haverá transferência de pacientes quando a ocupação de leitos da Rede estiver alta. Não houve solicitações até agora.

“Para tanto, os hospitais e unidades de saúde da Rede Fhemig (Júlia Kubitschek e Eduardo de Menezes), referências no enfrentamento à Covid-19, devem formalizar solicitações de transferência à SES-MG, o que até o momento não foi necessário. Por esse motivo, o Hospital de Campanha ainda não tem pacientes internados”, continuou.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários