Ministério da Ciência e Tecnologia
Reprodução
Ministério da Ciência e Tecnologia anuncia mudanças no Inpe

O Ministério da Ciência, comandado pelo ministro Marcos Pontes, anunciou, nesta terça-feira (14), uma reestruturação no Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Especiais),  após polêmicas em relação à demissão de Lubia Vinhas, responsável pelo monitoramento dos índices de desmatamento da Amazônia.

Durante coletiva, o ministro e o diretor interino do Inpe, Darcton Damião, explicaram como vão ser as mudanças e o novo organograma da pasta. Além disso, negaram que a demissão de Lubia Vinhas tenha sido motivada pela divulgação de dados do desmatamento na floresta. Pontes disse que ela não foi demitida, mas sim realocada para outra função.

“A transferência da Lubia para o setor novo acabou acontecendo agora e chamou a atenção. Ela não foi demitida, mas terá outra função estratégica. Isso tem a ver com a reestruturação e não com os dados do desmatamento. O time do TerraClass, Deter e Prodes continua o mesmo. Foi um mal-entendido. Falha minha", declarou o ministro. Já Darcton Damião afirmou que a mudança da pesquisadora já vinha sendo discutida a meses. "O assunto vinha sendo discutido há seis meses. Não havia surpresa”, disse.

Mudanças

A partir de agora, o Inpe passará a ter 8 coordenações gerais, ao invés de 15, e que a medida vai servir para melhorar o trabalho do órgão. “Reagrupamos essas áreas e nenhuma das funções foi suprimida. Foram reposicionadas com base em sinergia entre as áreas”.

“Temos feito em conjunto com os diretores e a ideia é melhorar a gestão dentro de cada uma das unidades de pesquisa e como elas interagem com o ministério e o ambiente de ciência do país. Tudo pode ser melhorado", afirmou Marcos Pontes.

    Veja Também

      Mostrar mais