naja
Ivan Mattos/Zoo de Brasília
Por posse de cobra naja em ambiente doméstico, jovem será multado em R$ 2 mil



A cobra naja que picou um estudante de veterinária em Brasília pode custar até R$ 20 mil no comércio ilegal de animais. Quem afirma é Jonatas Silva, delegado da 14ª Delegacia de Polícia, do Gama.




A espécie é considerada a mais venenosa do mundo e é proveniente de locais da Ásia e África. Pedro Henrique Santos Krambeck Lehmkul foi picado na última terça-feira (7) e chegou a ficar em coma.

O veneno da picada causou ferimentos no coração e deixou o braço dele necrosado. Ele deve ter alta hoje da Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

A naja é uma espécie de cobra proibida em ambiente doméstico, segundo o Ibama. Por isso, o rapaz será multado em R$ 2 mil.

No entanto, o órgão pensa em ampliar a pena do jovem levando em conta a situação das outras serpentes.

Após o acidente, a naja foi deixada em um shopping no Distrito Federal, mas foi encontrada. Pedro também tinha outras 16 cobras , que foram apreendidas pelo Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA). Dez eram serpentes exóticas de outros países e seis eram serpentes silvestres do Brasil. Todas estão sob cuidados do Zoológico de Brasília.

Ele não tinha registro de posse de nenhuma das cobras. Ele está  sob investigação por envolvimento em tráfico de animais ao lado de outros três estudantes que estudaram com Pedro.

Todos eles são de classe média e classe média alta e, segundo a investigação, gostam de estudar animais exóticos.

    Veja Também

      Mostrar mais