O jardineiro Wilton Oliveira da Costa, de 33 anos, passou 54 dias na prisão após ser acusado de roubar uma moto em 2018. Ele conseguiu a liberdade após provar que o autor do crime foi seu irmão, William Oliveira da Costa, morto em fevereiro deste ano no Rio de Janeiro em uma ação policial. A prisão aconteceu no dia 12 de maio e ele foi libertado no sábado (4).

Wilton Oliveira da Costa
Reprodução/Globo
Wilton Oliveira da Costa foi preso após ser confundido com o irmão


A família contou que a foto apresentada na delegacia era de Willian, que, além de ser o principal suspeito pelo roubo da moto, estava envolvido em mais seis crimes. Segundo informações do 'G1', os familiares do jardineiro disseram que o criminoso usava os documentos do irmão para despistar a polícia.

A prisão de Wilton, que antes estava estudando educação física, aconteceu no seu local de trabalho e, segundo a defesa, ele estava exercendo seu ofício no momento do assalto. “Ele ter passado 54 dias dentro desse presídio. Para agora a declaração do juiz dizer que a vítima apenas disse que ele é parecido com a pessoa que cometeu o assalto”, declarou Marcelle Oliveira, mulher do jardineiro.


Antes de ser solto, Wilton teve dois pedidos de habeas corpus negado. “É muito ruim ficar aqui dentro. Comida estragada, sem assistência médica, desumano. Não tem colchão, não tem nada”, contou.

A advogada do jardineiro, Rafaela Servilha, falou que seu cliente ainda não foi absolvido: “Ele passa a responder o processo em liberdade numa nítida aplicação da lei porque o próprio juiz, conforme sua defesa técnica já vinha dizendo que seria um erro de reconhecimento, uma vez que o verdadeiro autor do crime era o William e não o Wilton”.

    Veja Também

      Mostrar mais